Monthly Archives: Agosto 2006

‘Sofro de Otites’

Quem não gosta de ouvir conversas alheias?
NÓS ADORAMOS!

Em conjunto com duas amigas, criámos um novo ‘menino’ na blogosfera!

‘Sofro de Otites’

Não se esqueçam:
“Não ponhas a boca… mas o ouvido!”

Anúncios

No way!

Better come back down to Mars
Girl, quit chasin’ cars
What happens when the dough get so low
Bitch, you ain’t that fine
No way.. no way.. no way

Lembro-me…

Lembro-me de ti no Jardim de Infância… loirinha e fofinha.
Lembro-me de ti na Primária.
Lembro-me dos teus vestidos.
Lembro-me de seres a maior… mais alta que todas as menina e todos os meninos.
Lembro-me do dia em que disseste palavrões no recreio e que o “outro” ficou surpreendido.
Lembro-me de ter ido andar de bicicleta contigo e de ter ficado com o pé preso nos raios.
Lembro-me da senhora gorda que roubava ovos e do sermão que ouviste.
Lembro-me de dançares à frente do quadro preto.
Lembro-me das tuas célebres meias brancas.
Lembro-me das gomas.
Lembro-me da telescola e dos intervalos intermináveis.
Lembro-me de escreveres os verbos em francês no quadro… com o caderno escondido debaixo da camisola.
Lembro-me dos testes… e das cábulas nos cadernos pretos.
Lembro-me de um balão de água, enorme, ter rebentado nos teus braços.
Lembro-me de irmos fazer recados aos correios.
Lembro-me de irmos à cave da casa grande.
Lembro-me de irmos explorar a outra casa… e virmos carregados de blocos.
Lembro-me de termos ido juntos para o 7.º ano.
Lembro-me das nossas viagens de autocarro.
Lembro-me de ir sentado ao vosso colo.
Lembro-me de gostarmos de arranjar confusões com os passageiros.
Lembro-me do barulho que fazíamos.
Lembro-me de teres namorado com “aquele”.
Lembro-me de te teres afastado nessa altura.
Lembro-me das cartas falsas no teu cacifo.
Lembro-me das tuas cartas do dia de S. Valentim.
Lembro-me que começaste a faltar às aulas de Inglês.
Lembro-me de termos ficado zangados contigo.
Lembro-me de termos ido passar uma tarde ao hotel rural e tu não foste sequer convidada.
Lembro-me de teres começado a ser desprezada por causa de outras pessoas.
Lembro-me de eu não ter reparado nisso.
Lembro-me de teres vindo falar comigo.
Lembro-me de ter começado a dar-te mais atenção.
Lembro-me que começaste a ter melhores notas.
Lembro-me de ter começado a ser vítima de desprezo também.
Lembro-me do que sofremos juntos.
Lembro-me de termos chorado.
Lembro-me daquele dia e das atitudes.
Lembro-me de termos falado com a professora.
Lembro-me de termos chorado outra vez.
Lembro-me de termos chorado outra vez… tu no banco… eu escondido.
Lembro-me de irmos no autocarro e a termos visto chorar.
Lembro-me de nos termos tornado muito unidos.
Lembro-me que deixamos de ter contacto com ela.
Lembro-me de termos ido juntos para o Liceu.
Lembro-me da nossa ansiedade.
Lembro-me dos momentos hilariantes que passámos nas aulas.
Lembro-me das aulas de Biologia e de como nos divertíamos sozinhos.
Lembro-me de como a professora gostava de nós, apesar de sermos os mais faladores.
Lembro-me dos conflitos que tivemos com outros professores.
Lembro-me de como as aulas de TLQ nos perturbavam.
Lembro-me das “dores de barriga” e das “indisposições” que tinhamos nas aulas de Inglês.
Lembro-me do glossário.
Lembro-me de como nos riamos.
Lembro-me do tormento das aulas de apoio a Matemática… e a frenética.
Lembro-me de termos começado a falar por mensagem.
Lembro-me que a partir daí tudo mudou entre nós.
Lembro-me de termos lutado juntos.
Lembro-me da discussão.
Lembro-me como deixamos de falar.
Lembro-me do dia da partida para Taizé e de não termos feito as pazes.
Lembro-me de sermos iguais… orgulhosos.
Lembro-me do homícidio em Taizé e de como fiquei preoupado contigo.
Lembro-me do dia do teu aniversário.
Lembro-me de ter tentado fazer as pazes contigo, sem baixar o orgulho.
Lembro-me de não ter conseguido.
Lembro-me do modo como disseste que estavas muito magoada comigo.
Lembro-me de eu ter sentido o mesmo.
Lembro-me de nos termos tornado fortes e unidos.
Lembro-me de te ter revelado os meus segredos, intimidades e problemas.
Lembro-me de teres ficado surpreendida.
Lembro-me do dia 14 de Fevereiro.
Lembro-me da tua cara triste e das tuas lágrimas.
Lembro-me de ter pedido para sair contigo.
Lembro-me de teres chorado ao pé de mim.
Lembro-me de te ter ouvido.
lembro-me dos lenços que te arranhavam o nariz.
Lembro-me de quando me contaste aqueles momentos.
Lembro-me de ter ficado surpreso… mas orgulhoso de ti.
Lembro-me de ter falado da M40.
Lembro-me das quintas-feiras à tarde.
Lembro-me do Diabrão, do Red Bull, do Vodka Russo e da Bohemia.
Lembro-me do modo com subimos as escadas.
Lembro-me do que fizemos.
Lembro-me de como isso se espalhou.
Lembro-me da fama com que ficámos.
Lembro-me da Feira da Agricultura.
Lembro-me dos bolos da Meloy.
Lembro-me de termos chegado a tua casa às 7h da manhã.
Lembro-me de como tivemos que nos levantar às 8h da manhã.
Lembro-me dos nossos telefonemas intermináveis… e das nossas despedidas.
Lembro-me das nossas mensagens.
Lembro-me de ser o teu psicólogo.
Lembro-me da nossa telepatia.

Hoje…

Lembro-me de ser eu.
Lembro-me de seres tu.
Lembro-me de sermos um só.
Lembro-me de estarmos em harmonia.
Lembro-me da tua presença… em toda a minha vida.
Lembro-me que este espaço não chegava para recordar tudo.
Lembro-me dos nossos momentos.
Lembro-me que o nosso sentimento não tem definição.
Lembro-me que é mais que amor, mais que paixão, mais que amizade, mais que irmandade.
Lembro-me que gosto de ti.
Lembro-me da tua importância.
Lembro-me que apesar do que dizem, nós temos um sentimento puro e superior.

E amanhã…

Lembrar-me-ei que vamos ser felizes.
Lembrar-me-ei que somos unos.
Lembrar-me-ei que sou eu e és tu.

"O Pastelinho"

‘Eu gostava de ter umas mamas como as da contínua!’

A tempestade passará?

Só quero te lembrar
De quando a gente andava nas estrelas
Nas horas lindas que passamos juntos
A gente só queria amar e amar
E hoje eu tenho certeza
A nossa história não termina agora
Pois essa tempestade um dia vai acabar

If roses are meant to be red and violets to be blue, why is my heart meant for you?

Emmy Awards 2006

A série de espionagem “24” dominou a 58.ª edição dos Emmy, os óscares da televisão americana, anunciados no Domingo à noite em Los Angeles. Além do Emmy para a melhor série dramática, “24” arrecadou os prémios para o melhor actor (Kiefer Sutherland) e melhor realizador (John Cassar).

Por outro lado, “The Office”, adaptada de uma famosa série britânica, foi a outra grande vencedora da noite, ao arrecadar as estatuetas na categoria “comédia”, deixando apenas escapar o galardão de melhor actor principal, nesta área. Tony Shalhoub, no papel de um detective obsessivo compulsivo, na série “Monk”, ganhou o prémio.

Mariska Hargitay levou para casa a estatueta de melhor actriz dramática pelo seu desempenho como protagonista de “Law & Order: Special Victims Unity”, surpreendendo a todos.

Na comédia, o júri dos Emmys decidiu que a melhor actriz foi Julia Louis-Dreyfus em “The New Adventures of Old Christine”. E nas mini-séries, a produção histórica “Elizabeth I” agarrou nove Emmys.

Foto da Semana [28 de Agosto a 03 de Setembro]


Tiago Ramos.2006

Quando a chuva passar

Lost

Lost in this world
I get lost in your eyes
So when the lights go down

Am I the only one

Under the Bridge

Criei um novo cantinho:
Under the bridge
Entrei na era dos fotolog’s!

Aqui cabem
Momentos. Recordações. Sentidos. Tempos. Desejos. Vivências. Atitudes. Disposições.

Odeio-vos!

Odeio manuais de instruções! Se preciso de utilizar o manual de instruções de algum aparelho eléctrico é mau sinal. Sinal de que tem menus pouco intuitivos… E de que mais valia estar quieto em vez de o comprar!
Saibam como destruir esses manuais… inúteis… à séria!
1. Adoro o cheiro de Napalm pela manhã!
Primeiro passo: reúnam alguns amigos doidos por modelismo, sem nada para fazer…
2. Utilizando tesoura e cola, transformem o inútil manual de instruções num modelo à escala de uma aldeia vietnamita.
3. Transfiram a aldeia à escala para o jardim e, com a ajuda de um veterano especialista em explosivos, armadilhem todo o cenário.
4. Convidem os amigos mais lunáticos (e desocupados) para passar lá por casa. Sirvam cerveja e tremoços antes do grand evento.
5. Vão buscar a banda sonora de Apocalypse Now e escolham a Cavalgada das Valquírias. Recostem-se na cadeira de praia e… carreguem no botão vermelho!

It’s so hard? So… An easy thing…

1. Rasguem cuidadosamente o manual de uma ponta à outra, página por página.
2. Façam um bolo com todo o papel e adicionem laxantes suficientes para desentupir um rinoceronte.
3. Ofereçam o bolo, ainda quentinho, ao Director de Marketing da empresa que fez o manial.
4. Antes de sairem da empresa, vão a todas as casas de banho e substituam todo o papel higiénico por folhas de papel do mais áspero que encontrarem.
5. Deliciem-se longamente com os gritos distantes de angústia e desespero!

I’m the evil!

Te-le-pa-tia


Sim… Tive a certeza! Comunico “contigo” por telepatia…
A proximidade, amizade, carinho, amor, irmandade e empatia que nos une, provoca isso.
Já tinha reparado… Às vezes completamos as frases um do outro. Basta um olhar, um gesto de mãos, um ligeiro movimento do corpo ou um suspiro para perceber o que o outro está a pensar…

…e eu gosto disso…
…e tu gostas disso…


Fui abençoado com uma personalidade obsessiva.
O que é muito melhor do que a apatia crónica ou a maldição de uma atitude do género: “Sim, OK, pode ser…”

I hate you! I hate you!

Odeio-te porque te conheci.
Odeio-te por causa do teu sorriso.
Odeio-te pela maneira que me olhas.
Odeio-te por um dia teres pensado em mim.
Odeio-te por saberes que penso em ti.
Odeio-te por acreditar nas tuas palavras.
Odeio-te por saber que não te consigo esquecer.
Odeio-te por saber que preciso de ti.
Odeio-te porque te adoro.

Em busca do segredo da mensagem perdida!

“O amor não é aquilo que queremos sentir, mas aquilo que sentimos sem querer!”

Pois… Já agora: ‘Quem és?’…


“O que é o amor? E o que é que significa querer alguém como eu te quero, amar-te com a própria vida?
Coração bate mais forte sem saber o motivo; fico louco, ansioso para te ter aqui comigo!”

Europeus de Canoagem Sub-23

O campeão português de Slalom K1, Ivan Silva, falhou o apuramento para a final dos Europeus de Canoagem Sub-23, reservada aos 10 melhores atletas que competem em Nottingham, Inglaterra. Depois de ter sido 13.º nas eliminatórias, o jovem atleta de 18 anos, foi agora 25.º ao totalizar 97.93 pontos (segundos), a 9,54 do vencedor, o polaco Dariusz Popiela, e a 3,38 segundos do décimo lugar, que lhe faria a presença na final.

Diana Gomes: Once again!

A nadadora portuguesa Diana Gomes terminou no 6.º lugar, a final dos 50m bruços do I Campeonato do Mundo de Júniores, que decorreu até Domingo no Complexo Júlio de Lamare, no Rio de Janeiro. A jovem atleta registou a marca de 32,97s, ficando a 17 centésimos de segundo do seu recorde absoluto (32,80) e a 32 centésimos da medalha de bronze.

No dia 26, Diana Gomes alcançou o 4.º lugar nos 100m bruços, batendo o recorde português sénior (1.10,43 minutos). A nadadora portuguesa olímpica, de 17 anos, melhorou o recorde sénior, conseguido nas meias-finais (1.10,95 minutos), mas não conseguiu bater o seu recorde nacional absoluto (1.10,09 minutos).

No Sábado, bateu também o recorde nacional sénior dos 200m bruços, mas falhou a presença na final da prova. Diana Gomes, que se apresentou nas eliminatórias com o 11.º tempo de inscrição (2.34,97 minutos), acabou por falhar a final por apenas dois lugares, já que foi 10.ª com o tempo de 2.33, 36, tempo que lhe conferiu o recorde sénior, que era pertença de Bárbara Ferreira desde Junho de 2004 (2.34,64).

Ócio…


Hoje vou partir mais cedo.
Uma pausa. Um momento. Um aguardar de situações.
O descanso do artista? Talvez seja demasiado narcisista.
O descanso de UM artista… Talvez.

Aguardo por ti. Espero, perdido, num banco de jardim.