Monthly Archives: Janeiro 2007

Tenho saudades vossas. Voltem.

As Melhoras.

Anúncios

Descobrindo Blogs – 6

Sonhador em Full-Time – Era uma vez um menino que tinha o sonho de um dia conseguir a proeza de publicar um livro. Esse menino cresceu e já publicou um livro: “Ano Louco”, de João Cordeiro.

Tiago In Tokyo – Um blog com “cheirinho” japonês. De um estagiário de um Curso de Gestão Internacional.

Onde Está o Branco em Ti? – O blog de uma menina talentosa, que sente com o lado esquerdo do coração.

Nova Vaga

Com a indústria de Hollywood a apostar na produção de séries televisivas, a ficção norte-americana está de pedra e cal, nas grelhas de programação, dos canais portugueses.
Estreou no dia 15, na TVI, a série Nip/Tuck. O Globo de Ouro para a melhor série dramática, em 2005, premiou o universo da cirurgia plástica, abordado de uma forma crua, onde todos os episódios começam com a simples pergunta: “Do que é que não gosta em si?”.
Em Los Angeles, decorreu a 64.ª Cerimónia dos Globos de Ouro e as tramas hospitalares continuaram em alta, com Anatomia de Grey a receber o prémio de melhor série dramática, e o actor britânico Hugh Laurie (Dr. House), a levar para casa o galardão de melhor actor dramático, tal como em 2006.
Estas distinções só corroboram as conclusões de um inquérito recentemente publicado no jornal Los Angeles Times e que envolveu cerca de 1000 norte-americanos: elas preferem Anatomia de Grey, eles preferem 24 (16 Emmys, em 5 anos). Eles gostam do terror, elas não. Mas ambos gostam do C.S.I.
Com a RTP a festejar o seu 50.ª aniversário, Prison Break (já em exibição), The Unit, The Nine, Cold Case, Without a Trace, Hidden Palms, Men in Trees, Bleak House e The Traveller são as estreias agendadas. Asseguradas estão, também, as sequelas de Anatomia de Grey, Perdidos e 24.
Na TVI, depois do início da terceira época de House, aguarda-se a estreia de Kidnapped e Heroes.
Na SIC, continuam os enredos de CSI e estrear-se-ão Shark, protagonizada por James Woods, e Ghost Whisperer, com Jennifer Love Hewitt.

E os premiados são…
– 24
30 Rock
– Anatomia de Grey
– C.S.I.
Donas de Casa Desesperadas
– House
– Nip/Tuck
– Perdidos
– Prison Break
Roma
Simpsons
The Closer
Uggly Betty
Will & Grace

Literatura

Quais são as dez melhores obras literárias de sempre?
O editor americano J. Peter Zane tentou encontrar uma resposta tanto quanto possível concreta para matéria subjectiva, e pediu a 125 grandes escritores que lhe fornecessem o seu “top 10” pessoal.
Tudo somado, o resultado a que chegou foi o seguinte:
1. Anna Karenina, de Leão Tolstoi.
2. Madame Bovary, de Gustave Flaubert.
3. Guerra e Paz, de Leão Tolstoi.
4. Lolita, de Vladimir Nabokov.
5. As Aventuras de Huckleberry Finn, de Mark Twain.
6. Hamlet, Príncipe da Dinamarca, de William Shakespeare.
7. O Grande Gatsby, de Scott Fitzgerald.
8. À Procura do Tempo Perdido, de Marcel Proust.
9. Contos, de Anton Tchekov.
10. A Vida Era Assim em Middlemarch, de George Eliot.

Descobrindo Blogs – 5


A Única Inocência… : Um novo blogger que se assume na blogosfera. Paulo Yoshi identifica-se como “um ser que divaga, logo um divagante, na mais pura essência do pensamento, pensando só por pensar, sem pensar porque o penso.”

Creepin’ In


*

Torna-se complicado. É-me difícil entender o teu desprezo e a tua dificuldade em me olhar de frente.
Chego ao café. Olho-te como quem procura uma resposta. Baixas a cabeça. Escondes-me do teu campo de visão. Sento-me. Não dizes nada, mas os gestos são suficientes. Levantas a cabeça como quem condescende a minha presença. Estás nervosa: as mãos tremem. Fumas um cigarro.
Torna-se constrangedor estar aqui, mas preciso de uma justificação para as tuas atitudes.
Os nossos lábios apenas se encontraram uma vez e, sejamos francos, estavam algumas garrafas vazias junto a nós. Entendes? Ninguém esperava mais. Era compreensível. Eu não te pedi nada. Não exigi mais do que aquilo que já existia.
Não. Não consigo perceber.
Queria ser corajoso o suficiente para te colocar as minhas dúvidas.
Sou cobarde e permaneço calado…
* A foto é minha.

Em vez de estudar Química, faço coisas destas:

Não sou normal. Fazer colagens em vez de relatórios de Química? É o que está a dar!

Ralhei contigo, chamei-te à razão, apeteceu-me bater-te para acordares e tu simplesmente disseste: “Eu sei. Bate-me.”

É por isso que te adoro.

Passei agora pela barra lateral do blog e encontrei isto:

Agradeço a todos os que me visitam. Continuo sem compreender porque cada vez mais pessoas me visitam, mas fico feliz.
Obrigado por aturarem os meus devaneios, as minhas depressões, as minhas alegrias e as minhas histórias (algumas sem interesse).
Obrigado por lerem o meu blog. Obrigado por o comentarem.
Obrigado às mais de 100 visitas diárias que eu tenho tido (e não contam as visitas do meu IP).
Obrigado!

Acerca do Referendo ao Aborto

Já muito se falou acerca deste assunto e eu, inicialmente, tinha pensado em não abordá-lo. Mas pelo que tenho lido, sinto-me tentado a comentar.
Penso que muitas pessoas ainda não perceberam realmente a pergunta do referendo.
“Concorda com a despenalização da interrupção voluntária da gravidez, se realizada, por opção da mulher, nas primeiras dez semanas, em estabelecimento de saúde legalmente autorizado?” é a pergunta sujeita a aprovação em 11 de Fevereiro de 2007.

Agora notem: a campanha pelo sim e pelo não ao aborto efectuada por algumas pessoas, incide demais na moralidade do aborto. No entanto, não se pergunta se somos ou não, a favor do aborto, mas sim, se somos a favor ou não da despenalização do mesmo. Qualquer pessoa, na posse do mínimo das suas faculdades mentais e perceptivas, não diz que é a favor do aborto!
A pergunta ao referendo é uma questão absolutamente jurídica. Pessoalmente, não votarei porque não me interessam essas questões legais.
É uma questão hipócrita! Actualmente (e supostamente!), o aborto ainda é crime em Portugal. Mas quantas mulheres já foram presas por fazê-lo? Apesar de serem chamadas a julgamento (algumas apenas), nenhuma foi ainda presa ou penalizada por isso. Não que eu ache que as mulheres devam ser presas por isso, mas penso que é uma questão de absoluta consciência pessoal.
No entanto, levanta-se outra questão: quantos de estarão dispostos a que parte dos nossos impostos sejam utilizados para instituir clínicas de aborto? (É apenas uma pergunta retórica!)

P.S.:Nenhum destes argumentos tenciona fazer alguém votar pelo SIM ou pelo NÃO. Simplesmente é a minha opinião.

Escreva!

Concorri em Desafio da semana: Poesia verbal.

“Assim o que lhe propomos é: criar um poema em que cada linha comece com os pronomes pessoais (eu, tu ele [ou ela], nós vós e eles [ou elas]) e assim componha um poema. Pode utilizar todos os verbos nos tempos e modos que desejar.”

Verbo dos Sentidos
Eu nunca me esqueci de ti.
Tu sabias disso.
Ele também se recordava.
Nós separamo-nos.
Vós chorastes.
Eles olham por nós.

Estatísticas de Votação
Votos: 5

Classificação Média:5

Visitas

Estive a visitar as estatísticas deste blog e deparei-me com a área relativa a quem entra vindo de uma pesquisa no Google, Yahoo ou MSN. Os resultados são fascinantes. (Relativamente ao período de 01-01-2007 até 22-01-2007)

A grande maioria entra para ver o vídeo da Teresa Fidalgo ou a Reportagem da VISÃO acerca desse mesmo assunto.
No entanto encontrei outras pesquisas, digamos, peculiares:
27.º – “adoro provocar-te amiga”

47. º – “vídios de mulheres a despiram-se”

49.º – “desenho a brincar com legos”

72.º – “o meu hi5 nao da para abrir o meu perfil”

77.º – “so me apetece dizer asneiras”

85.º – “mascote castor”

97.º – “obikwelu albino”

etc…

A estes visitantes “forçados” apenas tenho a dizer que lamento e que aprendam a fazer pesquisas e/ou a escrever Português.
Mas é à conta desses enganos que estou quase nos 17000 visitantes.

Pela consulta deste gráfico percebe-se que 35,51% dos visitantes deste blog vêm através de motores de pesquisa, no entanto, os utilizadores que já sabem o endereço de cor e o utilizam são 32,43% (o que é muito bom, mesmo)!

Inversão

(Antes de começarem a ler, ponham esta música a tocar: )

Os sentidos invertem-se ao sabor das vicissitudes da vida. O caminho é alterado, as distâncias aumentam, os obstáculos mantêm-se…
Ouvi alguém dizer que, após fazer 18 anos, se sentiu diferente, inseguro. Eu atingi os 19 e sinto o mesmo. Sinto que tu se inverteu, tudo se alterou, tudo aumentou, tudo se manteve. Talvez fosse melhor que os sentimentos estabilizassem, mas há quem diga que esta fase é instável por natureza.
Sinto-me mais inseguro, menos confiante, mais vazio e incompleto. Falta-me um pedaço de alma que teima em não surgir, um vazio que não é ocupado de modo algum.
Vejo momentos vividos a passarem como cenas de uma filme, enquanto eu assisto a elas, impávido e sereno.
(Cai uma lágrima no papel e borra a tinta.)
De que adianta tudo isto? De que adianta sentir, cheirar, tocar, observar e ouvir, se isso não nos torna mais completos? O vazio é um estado de alma, isso é indiscutível. Surge nos momentos menos esperados e instala-se, avidamente, como quem pretende destruir uma ambição.
Eu podia negar tudo e dizer que estou bem. Talvez fosse melhor. Contrariava o meu espírito e lutava. Mas não consigo.
Posso chorar, posso gritar, posso tornar-me apático ou até extremamente agitado.
Mas o vazio, esse, continua…

I’m Listening To://Cannonball. Damien Rice.


(A foto é minha)

Não Custa Nada Ajudar

Pensem nisto:
Ajudar não custa nada
Esperança

Ajudem. Não custa ser solidário.

Wonderwall

Eu já gostava muito da música Wonderwall dos Oasis. Mas… esta versão do Ryan Adams é absolutamente deliciosa.
Ora oiçam:

Today is gonna be the day
That they’re gonna throw it back to you
By now you should’ve somehow
Realized what you gotta do
I don’t believe that anybody
Feels the way I do about you now

Backbeat the word was on the street
That the fire in your heart is out
I’m sure you’ve heard it all before
But you never really had a doubt
I don’t believe that anybody feels
The way I do about you now

And all the roads we have to walk along are winding
And all the lights that lead us there are blinding
There are many things that I would
Like to say to you
I don’t know how

Because maybe
You’re gonna be the one who saves me ?
And after all
You’re my wonderwall

Today was gonna be the day?
But they’ll never throw it back to you
By now you should’ve somehow
Realized what you’re not to do
I don’t believe that anybody
Feels the way I do
About you now

And all the roads that lead to you were winding
And all the lights that light the way are blinding
There are many things that I would like to say to you
I don’t know how

I said maybe
You’re gonna be the one who saves me ?
And after all
You’re my wonderwall

I said maybe
You’re gonna be the one who saves me ?
And after an
You’re my wonderwall

Said maybe
You’re gonna be the one that saves me
You’re gonna be the one that saves me
You’re gonna be the one that saves me

Editorial

“E finalmente ardeu…”

Chegou o momento de fazer uma actualização de todos os meus “cantinhos“. Todos os meus blogs estão agora incluídos no Blogger (ex-Beta). Apenas um está de acordo com todas as novas potencialidades do sistema, porque daria muito trabalho modificar novamente tudo isto.

Tenho postado menos no meu primeiro blog, “O Avesso dos Ponteiros“, (este mesmo), porque não tenho tido tanto tempo como gostaria para o actualizar e além disso, estou a passar por uma fase de fraca inspiração. Agradeço a todos aqueles que o vêm comentar e que anseiam novos posts. Vou tentar ser mais assíduo. Agradeço também a todos aqueles que linkam este blog (22 links actualmente). A minha blogger convidada, a Joaninha, tem andado também ausente daqui e talvez tão depressa não a vejam a postar.

O meu segundo blog, “Sofro de Otites” (conta já com 12 links) também tem andado um pouco parado, porque (sinceramente) não tenho dado muita atenção às conversas alheias. Peço desculpa a quem o visita.

Quanto ao blog que explora a minha veia de artista (um pouco fraca), o blog “A Vida do Baltasar“, tem sido actualizado consoante o meu tempo e a minha inspiração. Obrigado a todos os que o comentam e os que o linkam (7 links).

O meu portfolio vai sendo actualizado à medida que escrevo novos textos e inclui todos os textos que publico aqui também. Visitem-no em “[Simplicidade] é uma palavra complexa“. E já agora, linkem-no no vosso blog. (Conta, apenas com um 1 link).

O fotolog “Under the Bridge” terminou hoje mesmo, o seu período de actividade (4 links).

Por fim, a minha veia de fotógrafo, mudou-se para o deviantART, o qual peço que visitem, comentem e registem-se também.

Se quiser fugir
Pra qualquer lugar que for
Nem precisa me chamar
Tão perto que eu estou

Mas seu medo de perder
Não te deixa me olhar
Esqueça o que passou
Que tudo vai mudar

Agora eu posso ser seu anjo
Seus desejos sei de cor
Pro bem e pro mal você me tem
Não vai se sentir só, meu amor

[Refrão]
Sempre que quiser um beijo
Eu vou te dar
Sua boca vai ter tanta sede de me tomar
Se quiser
Sempre que quiser ir às estrelas
Me dê a mão, deixa eu te levar

Eu penso te tocar
Te falar coisas comuns
E poder te amar, o amor mais incomum
Não deixa o medo te impedir
De chegar perto de mim
O que aconteceu, ontem
Não vai mais repetir

E desde então estar contigo
Seus desejos sei de cor
Pro bem e pro mal você me tem
Não vai se sentir só, meu amor
Se quiser

[Refrão]
Sempre que quiser um beijo
Eu vou te dar
Sua boca vai ter tanta sede de me tomar
Se quiser
Sempre que quiser ir às estrelas
Me dê a mão, deixa eu te levar

Me deixa ser real
E te ajudar a ser feliz
Porque eu sou seu fogo
Tudo que você quis
Tudo que você quis

[Refrão]
Sempre que quiser um beijo
Eu vou te dar
Sua boca vai ter tanta sede de me tomar
Se quiser
Sempre que quiser ir às estrelas
Me dê a mão, deixa eu te levar

Refrão:
Sempre que quiser um beijo
Eu vou te dar
Sua boca vai ter tanta sede de me tomar
Se quiser
Sempre que quiser ir às estrelas
Me dê a mão, deixa eu te levar

Tânia Mara. Se Quiser [Páginas da Vida]

Citadino

Cosmopolitas. Severas. Complexas. Rotineiras. Agitadas. Apressadas. Laboriosas. Refúgio de amores fugazes. Canto de troca de beijos tímidos. Chegadas. Partidas.

Elas assistem a tudo, passivas, sem sequer elogiarem ou reprovarem. Somente transmitem o seu toque citadino.

(A foto é dele)

Conceito Abstracto

Desaparecimento. Desaparecer. Desaparecido.
Bastava-me. Bastam uns dias, uns longos dias. Poucos, mas longos. Do tamanho do esquecimento. Do tamanho de uma caminhada à beira-mar. Da dimensão de uma chávena de café tomada com ninguém.
Basta ler um livro, que jamais alguém leu. E absorver-me completamente no mundo de outrem.
Esquecer-me. Desaparecer. Esconder-me nas nuvens. No subsolo.
… E aí, lembrar-me quão colorida é a vida…
“A vida até é às cores”. É um conceito. Simplesmente.

(A foto é minha. Os elásticos não.)

Os Grandes Portugueses

Afinal não houveram surpresas na eleição para “Os Grandes Portugueses“.
Concordo com todos os 10 finalistas, apesar de poderem figurar outros nessa mesma lista.
D. Afonso Henriques. Rei
Álvaro Cunhal. Político
António de Oliveira Salazar. Político
Aristides de Sousa Mendes. Diplomata
Fernando Pessoa. Poeta
Infante D. Henrique. Estadista
D. João II. Rei
Luís Vaz de Camões. Poeta
Marquês de Pombal. Estadista
Vasco da Gama. Navegador

No meio da polémica da nomeação de Salazar, afirmo que, apesar de não me auto-intitular um salazarista, talvez vote nele. Apesar de o nome de Salazar estar relacionado com um regime repressivo e autoritário, penso que que não devemos desconsiderar o facto que 48 anos de História de Portugal ocorreram durante o regime de Salazar. Também não esqueçamos o seu génio economista, que enquanto Ministro das Finanças, conduziu o país de um modo estável a nível económico.
Também votaria Aristides de Sousa Mendes, pelo seu carácter humanista e solidário ou até Fernando Pessoa, dada a sua importância a nível cultural e literário, a par de Camões.