(Nada) Fácil

Não imaginas como me dói, como sofro, como sinto a ausência do alguém, a falta de me sentir preenchido, completo. Há dias destes em que nos sentimos feridos.

Sabes? Acordei angustiado hoje, com falta de ar e vontade de me alhear de todos, do mundo por inteiro. Perdi o meu mundo, a sério. Ou se o tenho, tem uma enorme fenda a meio e eu permaneço lá sentado, cansado, farto de lutar pelo nada, pelo tudo, pelo alguém e espero que ele me engula e me leve para as profundezas.

Não sabes, não calculas como me sinto podre, como neste momento estou a perder a força na caneta com que escrevo e como choro. Sim, eu choro e muito. Uso a desculpa de sempre, a de que os homens também choram, mas se ao menos eu ganhasse forças, se as pessoas não me magoassem tanto, se eu não fosse tão crédulo, tão ingénuo… se esta depressão não me matasse lentamente. «Faz algo por ti, pela tua felicidade» é o que ouço, mas se eu fosse simples, cumpria com isso. Não o sou; voltei a ser fraco, a ser O fraco, o maior, o pior… o de sempre.

Se pudesses alcançar como o telefone me dói, como as palavras ainda mais, certamente entenderias o complexo que sou. Sou o quebra-cabeças, o puzzle das dez mil peças, o objecto quebrado e as forças não vêm do nada. Há quem me ajude, eu sei. Ajudas-me, eu sinto-o. Mas se ao menos eu pudesse abraçar esses, se o meu braço esticasse, se fosse grande, seria m ais fácil. Mas não o é, eu também não o sou, a vida muito menos. Se as letras não me magoassem, se as cantigas não ferissem e os sons não perturbassem… Oh, ao menos se pudesse amar como gostaria, desejar como precisaria, ser como sou… tudo seria mais fácil.

Anúncios
Post a comment or leave a trackback: Trackback URL.

Comentários

  • HugoBenjamim  On Julho 20, 2007 at 16:13

    O teu comentario no meu blog gerou um novo post! 😀

  • Patricia  On Julho 20, 2007 at 21:22

    mais um lindo texto…
    mas..mto mto triste! :\

    Espero que essa angustia passe rapido…o tempo ajudará, mas terás tu também de fazer por isso..pq o coitado do tempo n pode ter essa responsabilidade toda 😛

    Vi o q disseste no msn..o tema do verão é interessante, mas nao sei o q escrever sobre isso, tens de ser mais especifico…

    Beijo.

  • Cho  On Julho 22, 2007 at 01:00

    custa-me dizer, e se porventura haverás perdido tempo com o meu blog decerto compreenderás, de que eu também em tempos fui feita assim desses fossos profundos de descrença e solidão, e que o tempo me curou as feridas que tinha, mas infelizmente trouxe também tempo para mais milhares.
    Corpos que carregam almas como as nossas, digo-te nunca estão sãos. Não é uma questão de orgulho. Mas temos de aceitar que o coração assim nas mãos não nos mata, e se por acaso sentires que nem mais forte te torna, ao menos eu deixo-te aqui a promessa de que as coisas nunca são eternas, e mesmo que não te possa prometer que calmaria virá,prmeto que dias melhores sim. É só acreditar, e esperar. Força. E obrigada por leres o meu blog. 🙂

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: