Cibernético

Sabes bem como sempre gostei de ti. A idade e a distância separavam-nos eu sei, mas sempre te achei diferente. Talvez por seres mais sincera que todas as outras, mais compreensiva, depressa me contavas todos os teus segredos, os mais cabeludos e os mais calvos. Aproveitava e desabafava  as minhas mágoas, antes que me afogasse nelas. Dizias que começavas a sentir-te fraca e eu um fraquinho por ti. Fraquinho que se tornou numa descoberta. Corpos que se desnudavam a pedido, mãos e bocas que, sem se poder tocar, se ansiavam. As palavras falhavam, as letras saíam distorcidas em tamanha dislexia. Os olhares deliciavam-se, mesmo não tendo uma visão natural. E assim satisfazíamos o nosso amor, até que a janela se encerrava e se lia nat1987 sai da sala.

Abro uma nova, a que diz paty19 e começa um novo amor.

Anúncios
Post a comment or leave a trackback: Trackback URL.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: