Monthly Archives: Novembro 2007

Abdicação

Abdicámos. Por nós.

Anúncios

Luísa Castel-Branco

Sim, vi esta senhora em plena estação de Campanhã, no Porto, de casaco de pele e a fumar o seu belo cigarrinho, com o maior ar de snobe que já vi em toda a minha vida!

Há coisas pelas quais eu gosto de me perder. O teu corpo é uma delas. O teu cheiro. O teu beijo. Os teus olhos. O teu toque. O teu sorriso. O teu amor. O teu eu. O meu outro eu.

A História Devida – mp3

Como prometido, aqui fica o link do meu texto que foi lido na Antena 1.
Desculpem a má qualidade sonora.

A História Devida – Sonhos em Francês.mp3

Desculpem a sinceridade, mas ter irritado o super-hiper-mega EGO do Nuno Gonçalves, deu-me gozo.

Mwaahahaah (Gargalhada malévola)

Como se não houvesse amanhã!!!!!

Entrei num restaurante, que aos poucos se foi transformando num supermercado, que por sua vez se tornou num recinto público. Estava com uma amiga minha, e fui andado até ao final destes locais…e encontrei um grande grupo de pessoas, que me chamou à atenção…já os tinha visto, principalmente um miúdo que lá se encontrava. Ao passar por eles, oiço alguém chamar pelo meu nome “Joana, Joana“, quando olhei para trás uma rapariga sorria para mim…!!Era a irmã dele, a irmã que nunca teve. Perguntou se estava bem, o que andava a fazer e que tinha saudades minhas, já não me via há muito tempo,(2 anos), e que gostava muito de mim, gostava que eu tivesse continuado a ir a casa dela.
Fiquei para “morrer“, mas ao mesmo tempo estava feliz, uma felicidade que já não sentia há dois anos. Reconheceu-me. Reconheceu-me.
A mãe dele juntou-se À conversa e perguntou quem eu era, e sem em dar espaço para responder, a filha disse-lhe que eu era a rapariga de STR. Reconheceu-me.”Como ele gostava de si. Estava louco. Adorava-a”. Esta doeu! “gostava“”estava“”adorava-a
A irmã puxou-me para uma conversa à parte, e aí disse-me que eu é que estava bem no lugar da outra, ela gostava de mim, e queria-me ver com ele. Embatuquei. Não sabia o que dizer. Virei costas, desatei a correr como se não houvesse amanhã.
(O menino, esse, era o da fotografia)
WE BELIEVE

O Amor em Minutos

E o amor faz-se de pequenos pormenores.
E o amor somos nós.

Sessão fotográfica em nossa casa: eu e ela.

E se eu hoje…

me atracasse a um barquito?
Não quero ir a nado. Cansa.

E se eu hoje…

matasse alguém?! hum?
Good?!

(tenho mesmo vontade de acabar com um certo tipo de raça de gentinha)

Tentação

Mas porquÊ???????? É realmente estúpido. É realmente muita “cegueira” da minha parte.
P O R Q U Ê ? ? ?
GOD!!!! #quanto mais me bates mais eu gosto de ti#
Acho que gosto de ser humilhada. Deve-me fazer bem.
Acho. Eu sou uma Parválhona!

(aiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii!!!)

Tenho saudades de estar contigo todos os dias, de irmos beber café e de nos matarmos um bocadinho, a seguir à aula de Quimíca…mas pelo menos matavamo-nos juntos!
Agora, raramente te vejo, raramente falo contigo, raramente…

Não tem sido fácilnão tem.

Sinto-me como uma flor fora do seu canteiro…

(eu sei!é patético, mas é como me defino neste preciso momento)

Saudades!

“…e eu quero poder acreditar, que o aperto cá dentro um dia vai acabar…”


Pedro Khima, “Esfera”

(A)Normalidades

É normal rires-te logo quando me vês ao longe?
É normal os teus pais já me terem visto pelo menos duas vezes e nem suspeitarem?
É normal irmos a dizer mal dos modelitos de uma das passageiras do IC, que por acaso era parecida com uma concorrente da OT e por acaso ser mesmo ela?
É normal matar-se saudades numa casa de banho de um comboio?
É normal eu estar constantemente a fazer piadas das pessoas que morreram no autocarro vindas de Fátima?
É normal eu ter um casaco todo fashion e tu um vestido todo sexy?
É normal fazermos o dito cujo 4 em 4?
É normal gastar-se 11 de 13?
É normal não sairmos do quarto?
É normal eu deixar-me fotografar em poses pseudo-sensuais e gostar de ver essa foto no dA?
É normal termos amigos que usam meias roxas com lacinhos atrás e florzinhas antiderrapantes?
É normal as coisas nunca correrem como planeado?
É normal todos os restaurantes fecharem à segunda feira?
É normal irmos jantar a um restaurante italiano com decoração de quarto infantil?
É normal o senhor do restaurante implicar comigo desde o início ao fim do jantar?
É normal conspirarmos contra as pessoas?
É normal sermos tão fofinhos?
É normal obrigarem-me a comer um gelado com aspecto fálico e tirarem-me fotografias?

Já agora, somos normais por acaso?