Monthly Archives: Abril 2008

Qwentin – FNAC Santa Catarina, Porto

Não sou grande fã do género, mas a banda Qwentin, que actuou na FNAC de Santa Catarina, no Porto, no dia 28 de Abril de 2008, surpreendeu-me.
Os Qwentin não são uma banda comum e muito menos têm um som comum. A banda é composta por quatro membros, com nomes artísticos: Drepopoulos Qwentinsson (baixo), Gospodar Qwentinsson (guitarra, voz), Morloch Qwentinsson (programações, teclados), Qweon Qwentinsson (guitarra, voz) e Bárány Qwentinsson (bateria).
O espectáculo tem uma componente muito teatral, bastante dramatizado, facto verificado pelo vestuário usado em palco: fato e saia negros. Aliás, o preto é a sua imagem de marca, visto que todos eles surgem maquilhados, olhos e unhas com o negro como elemento dominante.
No entanto, a banda não se distingue simplesmente pela forma como surge em palco, sendo que a diferença reside precisamente no som. Qwentin surge entre o rock e o punk, sem sequer chegar a um deles, ou talvez até superando estes dois géneros, para algo extremamente alternativo. Os dois guitarristas/vocalistas têm uma voz agradável e que se ajusta perfeitamente ao género musical. Cantam em sete línguas diferentes: castelhano, inglês, português, francês, italiano, holandês e esperanto. Mas poderia até afirmar uma oitava língua, a interpretativa, que é usada várias vezes para dramatizar ou teatralizar as músicas.
Apesar de o showcase ter sido breve, deu oportunidade de ouvir algumas das suas músicas, entre as quais a potente Fatalidad ou a contagiante Uomo Tutto. Um concerto, no mínimo surpreendente e intrigante, uma sonoridade a investigar.

www.qwentinband.blogspot.com

www.myspace.com/qwentin
www.qwentin.com

Anúncios

O Papel Higiénico Não Nasce Nas Casas-de-Banho

Existe uma altura da nossa vida em que, ao utilizarmos a casa-de-banho (ou quarto-de-banho, como dizem aqui no Porto), basta esticarmos a mão e temos sempre lá o rolo de papel higiénico disponível, sempre à mão, e quando acaba, a nossa mãe nos arranja sempre mais do que um em reserva.

Quando começamos a morar sozinhos, percebemos que o papel higiénico, afinal, não nasce das casas-de-banho e que só lá aparece, se o comprarmos.

O jovem casal recebe o jovem casal

E bastou a lasanha (que passámos a tarde inteira a preparar), quatro amigos, boa disposição e um Trivial Pursuit, para termos uma noite bem passada.

E mesmo que tenhamos perdido a jogar Trivial, pela 4.ª vez consecutiva, contra a Angie e o Óscar…mesmo assim, continuo a achar que foi uma noite extremamente divertida e que… até gosto de vocês.

“És Meu!”

“Talvez este relato possa dar-te as respostas que pretendes sem eu dar por isso. Mas tem de ser mesmo assim porque se caio, novamente, na armadilha da justificação, o mais certo será reescrever a história para tentar reabilitar-me ao próprios olhos.”

Rita Ferro , “És Meu!”

Queima das Fitas Porto 2008

Dia 03 (Sábado) – Plaggio
Dia 03 (Sábado) – Blasted Mechanism

Dia 04 (Domingo) – David Fonseca
Dia 04 (Domingo) – Jorge Palma

Dia 05 (Segunda) – Gentleman
Dia 05 (Segunda) – Sam the Kid

Dia 05 (Terça) – Diapasão
Dia 05 (Terça) – Quim Barreiros

Dia 07 (Quarta) –Irmãos Verdades
Dia 07 (Quarta) – Clã

Dia 08 (Quinta) – Sean Kingston
Dia 08 (Quinta) – Trabalhadores do Comércio

Dia 10 (Sexta) – Wraygunn
Dia 10 (Sexta) – Xutos & Pontapés

Dia 10 (Sábado) – Expensive Soul
Dia 10 (Sábado) – Da Weasel

Os cartazes alternativos são os seguintes:

Discoteca das Noites da Queima:

Cine-Jazz Queima:

What Age Do You Act?


You Act Like You Are 26 Years Old


You are a twentysomething at heart. You feel like an adult, and you’re optimistic about life.

You feel excited about what’s to come… love, work, and new experiences.

You’re still figuring out your place in the world and how you want your life to shape up.

The world is full of possibilities, and you can’t wait to explore many of them.

Googling # 07

fantasma de sintra falso – Redundâncias dispensam-se. Se te estás a referir ao chamado “Fantasma da Boleia” e à curta-metragem sobre ele, obviamente que é encenado.

estimulador de mamilo – Uma excelente pesquisa. Mas digo-te uma coisa: nada melhor que uma boa técnica de boca e língua.

como era um tsunami – Um tsunami é um bicho japonês, gordo e feio, que engole as pessoas. Mas apenas resta um único espécime de tsunamis vulgaris no mundo.

o adeus era inevitavel – Pois. E dói, não dói? Queres que o Google te dê umas palmadinhas nas costas, para te sentires melhor?

como dar um carinho – Experimenta com um pau de marmeleiro, a ver se resulta…

coisas estranhas de fantasma – Outra redundância. Coisas de fantasmas não são, por si só, estranhas?

nunca gostei de matemática – Eu também não, amigo. Mas acredita que não é por o dizeres para o Google que vais passar a gostar mais.

porque escreveu o memorial do convento? – Provavelmente perguntavas isto ao Sr. Google, prémio nobel da literatura, certo?

vida de um gay não assumido – Isso! Conta-nos as tuas mágoas, exorciza os teus problemas na Internet… E como será a vida de um gay assumido, pergunto eu. Isso não te interessa, seu egoísta?

sou gay e nao bicha – Óptimo! É sempre bom saber! Agora repete comigo lentamente e várias vezes: “O Google não é um diário! O Google não é um diário!”

cidade com mais história do mundo lisboa – A história de Lisboa tem mais quilos que a dos outros países! Toma, toma

The Gift & Orquestra Metropolitana de Lisboa – CC Vila Flor, Guimarães

Há 14 anos que os The Gift encontram forma de evitar a estagnação e de se re-inventarem. Um concerto com uma orquestra de renome seria o culminar dessa re-invenção. Surgido de um convite por parte da Caixa Geral de Depósitos (CGD), a banda de Alcobaça aceitou partilhar o palco com a Orquestra Metropolitanade Lisboa em três concertos inéditos. Um deles foi no Centro Cultural Vila Flor, em Guimarães, o qual eu tive prazer de assistir.

A curiosidade e ansiedade seria muita. Conseguiriam eles superar-se a si próprios e proporcionar um momento único na história da banda? Conseguiriam adaptar as novas músicas, por si só tão fortes e ritmadas, que à primeira vista pareceriam nada ter a ver com arranjos orquestrais? Que tipo de alinhamento utilizariam: sobretudo singles ou retomariam às origens? Posso dizer que tudo foi melhor do que poderia imaginar.

Depois de uma corrida às bilheteiras, finalmente havia chegado o dia 11 de Abril. Já passavam quinze minutos das 22 horas, quando os elementos da orquestra surgiram em palco, vestidos a rigor, afinando os seus instrumentos. Instantes após o maestro Pedro Neves aparecer, ouvem-se os primeiros acordes de How the end… always end, do velhinho álbum Vinyl. Sónia Tavares encantou toda a plateia, com a sua portentosa voz, com um bonito e vistoso vestido armado preto, enquanto o compositor da banda, Nuno Gonçalves, brilhava no seu piano.

Are you near?, do álbum AM e das músicas mais fortes que os The Gift já compuseram, foi a que mais surpreendeu. Num registo completamente diferente do habitual, a música surgiu num lindíssimo arranjo de cordas que arrepiou todos os presentes.

Músicas que raramente são tocadas nos concertos da banda foram também aproveitadas de uma forma exímia por Nuno Gonçalves e Pedro Neves, como o caso de Love Boat (Vinyl), Elisa (AM), Next Town (Film), Wake Up (AM), Waterskin (Film) e Weekend (Vinyl). Caso para realçar que os arranjos de Love Boat e Weekend elevaram o espectáculo a um musical da Broadway, tal o ambiente que surgiu em todo o auditório.

Outras músicas foram igualmente estarrecedoras, como a minha preferida desde sempre, Actress, com o coro a dar o seu toque final, ou a irreconhecível Butterfly, sem o seu som electrónico, mas igualmente fantástica. O sucesso Fácil de Entender fez lembrar os primeiros tempos em que a Sónia e o resto do grupo ainda se sentiam relutantes em cantá-la em público, com medo que não fosse bem recebida, unicamente com o Nuno ao piano, acompanhado pela voz singular da vocalista. Ok! Do you want something simple? primou por um arranjo mais maduro, ao qual o público pareceu reagir de uma forma entusiasta e no qual todos membros da orquestra participaram com um forte grito de “OK!”. Music foi outra surpresa do espectáculo. Um single repetido tantas vezes até à exaustão, acabou por ser refrescante numa noite como esta. Como não podia deixar de ser (ou não fosse a CGD a mentora do concerto), mais uma vez o Hino da Caixa combinou muito bem com a potente canção 645, num dos momentos que mais levou a plateia ao rubro.

Ao fim de Wake Up, a plateia permaneceu sentada, sabendo que a noite não podia ficar por ali e fortaleceu a sua satisfação com uma grande salva de palmas. Assim se deu início ao primeiro encore da noite, que levou a momentos absolutamente extraordinários, com a aparentemente esquecida Waterskin, a quase teatral Weekend ou a inebriantemente alegre In Repeat, com um final ao género de Arcade Fire.

No fim, já num segundo encore, Sónia Tavares convidou todos a se levantarem e dançarem o último single 645, com uma energia que levou todo o público a vibrar.

Uma noite memorável e dificilmente repetível, que merecia ser editada em DVD, onde toda banda e também a maravilhosa Orquestra Metropolitana de Lisboa e seu maestro, foram aplaudidos de pé, por longos momentos.

A única crítica, se é que posso chamar assim, é ao facto de o coro ter sido, infelizmente, pouco usado, ao invés do que sucedeu na gravação do DVD Fácil de Entender.

De realçar também, a excelente organização do Centro Cultural Vila Flor que, apesar de não permitir a captura de imagens, proporcionou um espectáculo num excelente auditório, pensado especialmente para que  todos pudessem visualizar completamente o palco, independentemente do lugar em que estivessem. E claro, também pelos chocolates e pelas flutes de champanhe que gentilmente ofereceu a todos os convidados.

Como nota, apresento o alinhamento do espectáculo:

– How the end… always end.

– Are you near?

– Love Boat

– Actress

– Elisa

– Next Town

– Butterfly

– Front Of

– Fácil de Entender

– Ok! Do you want something simple?

– Hino da Caixa/645

– Music

– Wake Up

1.º Encore:

– Waterskin

– Weekend

– In Repeat

2.º Encore:

– 645

Fotos by: Xucra.

Vídeos do concerto no Coliseu de Lisboa – http://thegiftportugal.blogspot.com/

Googling # 6

desenho mal – Desenhas? Somos dois. E depois? Achas que o Google te vai ajudar a desenhares melhor?

rock in rio ana free – Que a moça é um talento nato concordo, agora até chegar a ir actuar ao Rock in Rio, calculo que ainda faltem uns aninhos.

imagem não diz nada – Pois não. É natural. Se ainda fosse uma gravação de áudio ou um vídeo, seria possível. Sendo uma imagem, realmente duvido que diga algo. Mas podes sempre tentar.

fotos de homens nus com pilinha – Gosto da palavra “pilinha”, revela que ainda há pessoas inocentes no Mundo. Por outro lado, será difícil encontrares homens sem “pilinha”… quer dizer… há sempre um ou outro, como o caso do homem que está grávido, ou o caso do hermafrodita, Bill Kaulitz. Tirando esses casos, “homens com pilinha” é uma redundância.

como trocar os ponteiros do hi5? – Isso. Pergunta ao Google, que ele tem um hi5 todo bonito e pode ser que te explique. Fala é mais alto, que ele às vezes ouve muito mal.

fotografias homens provincianos maduros – Isto sim é uma pesquisa exemplar. Exacta e precisa. Homens provincianos e maduros. Portanto, se és um provinciano maduro ou tens fetiches raros… alista-te no Google!

Eu vou!

Acordei às sete da manhã e fui para Guimarães mais um grupo de amigos. Mas valeu a pena.

The Gift & Orquestra Metropolitana de Lisboa – Centro Cultural Vila Flor, em Guimarães.

Caixa Geral de Depósitos acaba de desafiar uma das mais importantes formações orquestrais de Portugal, a Orquestra Metropolitana de Lisboa (OML) e uma das mais reconhecidas bandas portuguesas, os The Gift para juntos partilharem o palco, realizando três concertos inéditos.

Há dias assim.

Há dias em que não apetece sair de casa. Hoje é um deles.

Tirando o facto de não me apetecer levantar da cama com o prenúncio de mau tempo, cheguei ao trabalho com vontade cortar os pulsos com um corta-unhas. Fiz a primeira chamada e pensei “Ok, isto hoje até não está assim tão mau!”. Saiu-me o tiro pela culatra. Um minuto depois apeteceu-me fugir, no minuto seguinte bater nas pessoas de Braga e depois dei por mim a pensar que os operadores da Optimus Home deviam receber um kit de facas para cortar os pulsos, com modelos de cortes variados, incluindo juliana.

Depois fui ao Multibanco ver se a Myjobs ao menos já se tinha dignado a pagar-nos o (estrondoso) ordenado. Não. Nem da primeira vez que lá fui ver, nem da segunda, nem da terceira, vinte minutos depois. Portanto, os senhores pensam que nós não temos contas para pagar, nem rendas do mês nem nada… Conclusão: estou encavado.

Sai uma pessoa da Optimus Home e não está a chover. “Ao menos isso”, pensei. Errado! Segundos depois começa a chover torrencialmente. Conclusão: molhado até às meninges. Entro no metro, pára de chover. Saio do metro, recomeça a chover.

Vai o meu amor de propósito a Guimarães para levantar bilhetes para os The Gift & Orquestra Metropolitana de Lisboa. Conclusão: esgotado. Vai o meu amor de propósito à pousada da juventude de Guimarães, alugar um quarto para o fim de semana. Conclusão: lotado. Vai o meu amor a uma pensão, alugar um quarto para o fim de semana. Conclusão: em remodelação.

Mais alguma coisa para o dia correr ainda melhor? Ainda são 16 horas. Falta muito para o dia acabar e há-de ocorrer mais alguma coisa, para eu me alegrar. (not)

Hotvnews – Colaborador

Após o pedido por parte da administração do fabuloso blogue sobre televisão e cinema em Portugal – Hotvnews 2.0 – de encontrar novos colaboradores para o mesmo na área de cinema, televisão e críticas de séries televisivas e filmes, achei que era a altura de participar também.

 É com muito orgulho que informo que fui o escolhido para a área a que concorri: Cinema.

Sou neste momento responsável por três rubricas semanais:

– Segunda: Notícias Hotvnews (cinema) – Novidades sobre cinema e afins.

– Quarta: Daily Hotvnews (cinema) – Um destaque dos principais filmes que serão transmitidos nos canais televisivos, no dia.

– Sexta:  Box Office Portugal – O trabalho mais moroso. Com base nos dados do ICAM referentes à semana anterior, tenho de elaborar uma tabela Top 10, dos filmes mais vistos nas salas de cinema portuguesas e a respectiva análise.

A minha primeira contribuição já foi publicada: Box Office Portugal – Realidade ou Animação?

Actualizações

Todos os meus blogues não têm recebido muitas actualizações nos últimos tempos. O tempo não tem sido muito, mas hoje tratei de actualizar alguns espaços.

Continuar a ler

“Lázaro, levanta-te e anda”

Inesquecível, a cena da praia em “Pai”, do grande realizador Artur Ramadas.

Pena que poucos o conheçam! 😦

Googling # 5

fotos de teresa o fantasma da boleia – Presume-se que, sendo fantasma, não se deixará fotografar muitas vezes.

como posso tornar-me numa fada e fazer magia – Ora aí está uma questão pertinente. Por quê passar uma vida inteira a estudar ou a trabalhar? Por quê tentar mudar o mundo? Por quê tudo isto, se nos podemos tornar uma fada e fazer magia?

casa da música lisboa – Toda a gente sabe que com o sistema Vodafone Casa Duplex põe-se a casa a mexer. Foi isto que permitiu que a Casa da Música se deslocasse do Porto para Lisboa.

um que estuda psicologia – Mais uma pesquisa com uma exactidão perfeita. Vamos lá procurar no Google alguém que estude por nós.

GEL ESTIMULANTE MAMILOS “LICK IT”

GEL ESTIMULANTE MAMILOS “LICK IT”

Gel estimulante com aroma de morango para os mamilos. Pode contudo ser usado em qualquer zona intima. 50ml.

(via Erosfarma)

– Só 50 mL? Só dá para uma vez!

– Aquilo é para os mamilos. Aquilo é pequenino, não se gasta muito. Quer dizer… a não ser que fosse a Fáfá de Belém!