Monthly Archives: Maio 2008

I said: «No, No, No!»

O concerto da Amy Winehouse no Rock in Rio está a dar em directo na Sic Radical.

Ao contrário do que seria de esperar, ela sempre veio a Portugal. Contudo, parece-me que está a gritar mais do que canta. Amigdalite, calculo eu. E umas garrafas de vinho também (tem de se fazer jus ao nome wine, claro). Crack, talvez.

[ACTUALIZADO PÓS-CONCERTO]:

Podem ver um excerto no youtube:

Por toda a blogosfera, quem comprou o bilhete critica a actuação de Amy, por estar claramente incapacitada de estar em palco, sem conseguir cantar, permanecer de pé, segurar o microfone ou tocar guitarra. Valeu o apoio do coro, que tudo fez para que a noite não fosse um fiasco.

Amy Winehouse, que deu o primeiro grande concerto em vários meses, pediu desculpa pela fraca voz e admitiu que devia ter cancelado o concerto, mas agradeceu o facto de ter estado perante quase cem mil pessoas.

Ao longo da actuação, a cantora esqueceu-se das letras, improvisou, tentou tocar guitarra, dançou e quase caiu, comeu, bebeu e chorou quando interpretou “Love is a losing game” e anunciou que o marido, que se encontra preso, irá em breve para casa.

Nota-se que a senhora é polivalente. Poliban, quiçá.

 

Anúncios

O 1.º dia do Rock in Rio Lisboa é Amy Winehouse

Será que a tão aguardada e polémica Amy Winehouse vai dar o concerto na Bela Vista, neste dia de abertura do Rock in Rio? Ou os ratinhos recém-nascidos e os fantasmas, vão impedi-la?

Dexter

Já tinha visto alguns episódios isolados na RTP2. No entanto, ontem vi o episódio-piloto e achei absolutamente genial.

Dexter é um especialista forense em análise sanguínea, mas que ao mesmo tempo leva uma vida dupla como serial-killer. Michael C. Hall (Sete Palmos de Terra) tem uma prestação excelente, com a sua personagem enigmática, sinistra e mórbida. É incrível ver a dualidade entre aquilo que é politicamente correcto e a sua luta pelo espírito sanguinário.

De continuar a ver, seguramente.

Post-só-porque-sim

Apeteceu-me fazer um post. Só porque sim.

Acho que basta dizer que te amo. Só porque sim. Só porque tudo. Pela perfeição e pelo amor.

The Moss – Fnac Norteshopping, Matosinhos

Mais um showcase na Fnac Norteshopping em Matosinhos, no passado dia 23 de Maio de 2008, desta vez com a actuação de The Moss.

Hugo Moss aparenta um ar tímido e um jeito humilde, mas quando canta as coisas são um bocadinho diferentes. Não é que este tenha dado um espectáculo extremamente vibrante, no entanto, nota-se que quando canta ganha um ar apaixonado pelo que faz, deixando-se levar por completo ao som da música.

O seu som oscila entre o folk, o country americano e o blues. Uma voz simples, mas agradável de se ouvir, com letras bem escritas e interessantes e uma composição suave. The Moss toca guitarra acústica e, quando o momento o exige, toca também harmónica, de forma a conjugar-se bem com o espírito folk. O showcase limitou-se a cerca de quatro músicas apenas, contidas no seu EP de estreia, com título homónimo, no entanto foi uma meia hora de boa música e uma grande descoberta

www.myspace.com/hugomoss

www.themosspage.blogspot.com

Joe Cocker – Pavilhão Municipal, Vila Nova de Gaia

Mais uma vez o Pavilhão Municipal de Vila Nova de Gaia (que já recebeu nomes como Waterboys e Peter Murphy), foi palco de um grandioso espectáculo no dia 21 de Maio de 2008.

Joe Cocker subiu ao palco passavam pouco das 22 horas, pronto para dar uma excelente noite a milhares de pessoas. Maioritariamente entre os 40 e os 50 anos, as mulheres dançavam as sedutoras coreografias das músicas e os homens, de cabelos brancos, vibravam ao som do rock de Cocker.

Notou-se que Joe Cocker sente necessidade de mostrar que está vivo. De pose mais contida que antigamente, com um ar mais envelhecido, barba e cabelos brancos e uma voz mais fraca (mas mesmo assim charmosa e potente), Joe Cocker deu um grande espectáculo.

Cocker cantou o clássico “You are so beautiful“, com algumas falhas na voz, que prontamente o público ajudou a abafar. As bancadas levantaram-se em peso aos primeiros acordes de “You can leave your hat on“, que ficará sempre associada à chama sedutora do artista. “Up where we belong“, “Summer in the city“, “Come together” e “Unchain my heart” foram outros temas que foram recebidos em êxtase.

Um ponto de elogio neste espectáculo foi, acima de tudo, a excelente banda com a qual Cocker se fez acompanhar. Um guitarrista, um saxofonista e uma baixista fizeram a grande parte do trabalho principal para este ter sido um grande espectáculo.

Sem dúvida, uma noite extremamente bem passada e divertida.

Superman

“Para mim és o Super-Homem… mas tem sempre a kriptonite…”

Amo-te

Desordem Mental (6)

É triste pensar que temos amigos e no fim de contas, estes só fazem parecer que são para não magoar outros, mesmo que não sintam amizade ou afinidade.

Efectivamente, quem anda à chuva molha-se. Isto é literal, para mim. Há dias em que mais valia ficar em casa seco, em vez de partir à chuva, para salvar os tais amigos.

Desperate Housewives – Season Finale

A temporada 4 de Donas de Casa Desesperadas (ainda não transmitida em Portugal) é das seasons mais fortes e intensas de toda a série. O drama de Linette e o seu cancro, o problema de Tom com a filha, a cegueira de Carlos Solis e o revés financeiro de Gabrielle, a “gravidez” de Bree, a Eddie apaixonada, a gravidez de Susan e o problema com as drogas de Mike, o ciclone que destruiu toda a cidade, tudo isso marcou esta temporada.

O episódio final, condensado numa hora e vinte de exibição (episódio 16 e 17) tem revelações extraordinárias, como explicar qual o segredo de Catherine. Mas o mais fantástico foi ver a mudança de todos eles, cinco anos depois.

Resta ver as mudanças para a quinta temporada… que ainda nem estreou sequer nos Estados Unidos e pelo que me parece ainda nem estão feitos novos episódios.

Desordem Mental (5)

Hoje vi-me ao espelho e julguei ver o Tintim algures reflectido.

Desordem Mental (4)

Falarmos sobre os nossos medos, fá-los parecer estúpidos.

Fado em Si Bemol – Fnac Norteshopping, Matosinhos

Fado em Si Bemol fizeram um showcase no dia 18 de Maio de 2008, na FNAC Norteshopping em Matosinhos. Não conhecia, mas foram bastante do meu agrado.

O grupo é constituído por Miguel Silva (guitarra portuguesa), Paulo Gonçalves (viola), Pedro Silva (contrabaixo), Paulo Coelho (percussão) e Pedro Matos (voz). Fado em Si Bemol tem uma nova sonoridade de fusão, entre o jazz, o fado e a bossa nova, um cantar alegre e inovador.

O vocalista Pedro Matos é detentor de uma potente voz, adequada a todos os estilos, mantendo ao longo de todo o espectáculo uma performance de entertainer.

Cantaram cantigas como o Fado Português, o Fado de Coimbra (com uma excelente adaptação do tema Saudade, de Cesária Évora) e A Moda das Tranças Pretas. Tudo de uma forma divertida, misturando o jazz e o soul, com o fado categórico.

Uma banda seguramente a não perder, cuja curiosidade me leva a querer comprar o novo CD.

http://www.myspace.com/fadoemsibemol

 

Joe Cocker – É hoje!

Hoje vamos ver o Joe Cocker a Vila Nova de Gaia!

Desordem Mental (3)

Quando me falam em perdas, acabo por verificar que perdi mais que tudo isso, mas acabei por ganhar o pouco que me satisfaz.

Eurovisão 2008

1.ª semi-final da Eurovisão – 20 Maio 2008

Mais uma vez a RTP1 descurou a transmissão da 1.ª semi-final da Eurovisão, a decorrer na Sérvia. Talvez porque Portugal não participou nesta eliminatória (só vai participar na de 22 de Maio) e como tal, ficou impedido de votar.

No entanto, é lamentável que a TVE tenha emitido a cerimónia a horas decentes e tenha terminado às 23:30 (em deferido), enquanto que a RTP1 (a nossa querida televisão estatal) tenha resolvido mostrar a Catarina Furtado na Cova da Moura, e passado a semi-final a partir das 23:50.

Desordem Mental (2)

30 anos é uma boa idade para ter filhos.

Samantha Who?

Comecei a ver a série Samantha Who?. Confesso que não conhecia nada desta série, mas que até gosto bastante.

Samantha Who? é uma comédia fácil, por vezes bastante forçada, mas que se torna bastante cómica e divertida. O título revela desde já o mote da história: Samantha tem amnésia.

 Ideal para aqueles dias em que não nos apetece pensar.

Andamos a ler…

Nos Passos de Magalhães, de Gonçalo Cadilhe.

Fernão de Magalhães é famoso em todo o mundo. A sua vida dava para um livro. E para uma viagem. Nos Passos de Magalhães faz as duas coisas: um livro de viagens que tem como fio condutor a vida de Fernão de Magalhães.
De Lisboa às Filipinas, da Micronésia à Patagónia, de África a Insulíndia, Gonçalo Cadilhe construiu uma biografia itinerante do primeiro europeu a chegar ao pacífico e reconstruiu a viagem realizada há 500 anos, a primeira a volta do globo.
Nos Passos de Magalhães é a história de lugares mágicos contada pelos olhos de um viajante moderno. Ao mesmo tempo que nos guia pela Lisboa dos Descobrimentos, pelas ruas de Sevilha, pelas fortalezas no Índico ou pelas tribos da Patagónia, Gonçalo Cadilhe reinventa a viagem de um homem que conquistou o seu lugar no mundo. E provoca no leitor o desejo de partir.

Vou começar a ler o quarto livro de Gonçalo Cadilhe. Parece-me um pouco mais histórico que os anteriores, limitando-se a contar a biografia de Fernão de Magalhães.

Agora, resta-me arranjar tempo… 😉

Desordem Mental (1)

Por mais que queiramos, vai ser sempre tudo às escondidas.

Nota importante: Pessoas em coma alcoólico não violam pessoas em coma alcoólico

“Não violei ninguém. Só pode tratar-se de uma vingança, porque ela era amiga da minha namorada e deve ter ciúmes. Só lhe sei dizer que tinha bebido muito e, nessa circunstância, como se pode violar alguém?” O aluno, como ontem noticiámos, foi acusado por uma caloira de Engenharia Biomédica, da Universidade do Minho (UM) mas nega as acusações que sobre si recaíram, depois de a mãe da estudante, residente na Póvoa de Varzim, ter denunciado o caso. O aluno entende que a acusação que lhe é apontada decorre “da necessidade da aluna em esconder alguma coisa”. “Não devia saber como justificar algo à mãe e encontrou em mim um bode expiatório“, disse.

Em declarações ao JN, o também aluno do curso de Biomédicas reconheceu que, ao início da noite, estava na barraquinha do curso, sempre com a namorada. “A outra miúda chegou (também bastante bebida) e começou a agarrar-se a mim. Até me tirou o telemóvel, dizendo que assim teria de andar atrás dela. Depois devolveu-mo, mas não passou disso”, disse o aluno, surpreendido com o desenlace do caso. Recordando que na noite “de copos”, a partir de certa altura, começou “a aterrar” e que terá acabado a noite quase “em coma alcoólico”. “Tal como ela”, vincou.

Fonte: JN

Não sei se devo fazer comentários sórdidos a isto, visto que já os fiz aqui. No entanto, a nota do título deve ser importante. 😛