Monthly Archives: Julho 2008

Eu confesso… (8)

Sabes? Não gosto de folgas, quando não estás comigo.

Karoshi & Workaholic?

null

Hoje li um artigo sobre karoshi, palavra japonesa que significa morte por excesso de trabalho. Algo natural nos japoneses é o perfeccionismo e o metodismo.

Tem dias que me considero japonês. Sim, por vezes trabalho horas a mais, trabalho feriados (quando é preciso) e praticamente todos os sábados. No entanto, tenho uma diferença. Gosto do meu trabalho. Há quem me julgue louco por gostar de trabalhar em telemarketing e telecomunicações. Sei que é um mundo competitivo, onde os mais fracos são rapidamente substituídos e onde os mais fortes prosperam. Contudo, como diz uma colega minha: “Aqui dentro, tão depressa se passa de bestial, a besta” e eu vejo-me forçado a concordar. Já por duas vezes, pelo menos, me vi com a corda ao pescoço… O que me salvou? Talvez o meu workaholic’ismo e o facto de ser inteligente e de facilmente aprender coisas complexas.

Tenho subido a pulso… Trabalho mais horas, mas tenho um rendimento mensal muito maior e mais estável. E acima de tudo, ganhei confiança da supervisão e da chefia. Estar responsável pela supervisão e chefia de vendedores novatos é a demonstração que o meu trabalho é reconhecido. Por outro lado, ser o responsável por todo um centro, num sábado, saber utilizar o avançado sistema informático e saber gerir e resolver as questões/conflitos dos assistentes é algo que me dá realmente gozo. Serei ambicioso? Sou e não o escondo. No entanto, tudo a seu tempo. Sou ambicioso por algo simples? Talvez na visão redutora de tristes pessoas à face da Terra. Mas por que não poderei eu singrar, onde outros fracassaram?

Serei eu japonês? Não, simplesmente porque tal como qual outro português, eu sei que “quem corre por gosto, não cansa“.

Radio Macau e a famosa polémica

Eis que chegou a este blogue o famoso vídeo que tanta polémica criou… Xana (vocalista dos Rádio Macau) irritou-se por Flak ter dado autorização ao banco Santander de usar a música O Anzol para um anúncio publicitário e num concerto, em Vila Nova da Barquinha, a cantora alterou o refrão da canção para “Não mordam o anzol das petrolíferas…”!

Parece que Flak não gostou e durante o solo tratou de lhe pregar uma rasteira… ao que Xana respondeu À estalada! 😛

Sem Comentário

(referente a um carro estacionado em 2.ª fila e a impedir a saída de outro)

Condutor (notoriamente furioso): “Isto parece África! Nem os pretos fazem isto!”

Regras da Química e Física (1)

Nunca juntar raça negra com etnia cigana. Altamente inflamável.

Eu confesso… (7)

Há dias em que dou por mim a pensar se tenho estômago para ser chefe de equipa. Especialmente quando se trata de dispensar pessoas ou ser rígido.

Desordem Mental (21)

Um dia de trabalho inteiro e não me pareceu que fosse produtivo.

É hoje!

null

Para celebrar este lançamento a Vodafone, irá oferecer 50 iPhone, a partir das 00h de dia 11, nos seguintes locais:

– Action Store, Parque das Nações em Lisboa

– Praça do Molhe na Av. Montevideu, no Porto

Para se habilitar a ganhar basta ser um dos 500 primeiros a aparecer a partir das 10h00.

Como Ser um Bom Vendedor

Convencer alguém a trocar um alarme por um cão, é o cúmulo da capacidade de argumentação.

Eu confesso… (6)

Supervisionar e treinar um grupo de vendas, agrada-me.

Milu, A Nova Top-Model

(via A Educação do Meu Umbigo)

Watching Series (1)

Neste momento ando a ver (a grande maioria já repetidas):

null

Dark Angel 1st Season Para recordar as noites de segunda-feira na RTP2. Dark Angel conta a história de Max (Jessica Alba), uma rapariga aparentemente normal, mas que é uma máquina de matar, geneticamente modificada.

null

What About Brian 1st Season Vi alguns episódios isolados, há alguns anos na RTP2. Conta a história do típico amigo bonito, simpático, bom ouvinte, mas que tem um grave problema com as mulheres.

null

The Twilight Zone (2002) Já vi todos os episódios da série, mas realmente nunca me canso. Todos os episódios têm elencos e realizadores diferentes, abordando temáticas como ficcção científica e terror.

Bunny, Bunny

null

Parece que vamos acabar por ter um destes…

Descobrindo Blogs – 18

Luís Belo – Um blogue de cenário simplista, mas com palavras complexas.

Vitamina Ϋ – Dos blogues mais divertidos que tenho descoberto, Vitamina Ϋ apresenta sempre novidades a todos os níveis, incluindo publicidade, televisão, música, tecnologia e afins.

Viagens de Pijama – Um blogue-menina que nos mostra que nunca é tarde para sonharmos ou vivermos num mundo de fantasia.

ZZTop no primeiro dia do SBSR Porto

Parece que o primeiro dia do festival Super Bock Super Rock no Porto foi afectado pela chuva que afastou as pessoas do festival…

Quem decididamente ficou fora foram os 1500 motards que se esperavam para assistir ao grande concerto da noite, a estreia dos texanos ZZ Top em Portugal. O mau-tempo afastou os amantes das duas rodas do festival portuense, que apenas recebeu cerca de duas dezenas de motos.

De qualquer forma, os ZZ Top foram mesmo os grandes vencedores da noite. A dupla barbuda mais famosa do mundo da música, Billy Gibbons (voz e guitarra) e Dusty Hill (baixo e voz), fez-se acompanhar do inseparável baterista Frank Beard. Os três juntos somam 176 anos de idade, mas apresentaram-se em grande forma. O blues rock do sul dos EUA contagiou todos, novos e velhos, e mesmo os mais distraídos à carreira dos ZZ Top reencontraram alguns riffs clássicos que já passaram pelos ouvidos de meio mundo.

Temas como «Cheap Sunglasses», «I’m Bad, Nationwide» e «My Head’s In Mississipi» celebraram mais de 35 anos de discos de uma banda que não parece querer parar por aqui. Divertidos e bastante comunicativos, Billy e Dusty não quiseram deixar de fora o hit «Hot Legs», não faltando mesmo as guitarras brancas «peludas», outra das imagens de marca dos ZZ Top.

via IOL Diário

Desordem Mental (20)

Será que não dá para afogar o Karma?

«Tom, I have XXL condoms!»

null

Após o cancelamento do concerto dos Tokio Hotel, em que tantas crianças demonstraram a futilidade que existe nos seus cérebros, eis que um novo concerto provocou uma nova enchente no Pavilhão Atlântico. Novamente umas largas centenas de pessoas acamparam uns dias antes do dia do concerto, para garantir os primeiros lugares da plateia.

Notem neste cartaz de uma fã de Tokio Hotel: «Tom, I have XXL condoms (…)». Ora, porque é que o rapazito iria precisar disso? Se ainda fosse o Bill, compreendia-se que ele os quisesse para servir de touca da farta cabeleira de que é possuidor… agora o Tom…