Monthly Archives: Agosto 2008

Eu confesso… (12)

Muitas vezes preciso de rever isto para aprender a viver.

Nneka

Esta mulher é das melhores revelações dos últimos anos.

Can you feel my heart is beating
Can you feel the pain you’re causing
Can you feel my heart is beating
Can you feel the pain you’re causing

Tiago Bettencourt & Mantha – Noites Ritual Rock, Porto

null

No dia 29 de Agosto foi o primeiro dia da edição de 2008 das Noites Ritual Rock, já típicas na cidade do Porto. Apesar de outras bandas que integraram o cartaz do primeiro dia, o único concerto a que assisti foi o de Tiago Bettencourt & Mantha.

O público era bastante ecléctico e pouco participativo ou não fosse este um festival gratuito no Porto. Contudo, este facto não impediu Tiago Bettencourt de dar um concerto energético, dando grande uso à sua guitarra eléctrica. Quase todos os temas tocados foram do seu álbum a solo, O Jardim, com especial referência para O Labirinto ou Os Dois. Pontuado com alguns problemas técnicos, o concerto correu sem grande participação do público a não ser algumas palmas “espontâneas” quando Tiago tocou O Labirinto, um tema mais ritmado. Um dos pontos altos do concerto foi quando tocou a bonita música O Campo, ao piano, com direito a um solo de guitarra de Tiago Maia.

Surpresas foram poucas neste concerto, que acabou por ser bastante curto em termos de alinhamento, mas os fãs de Tiago Bettencourt e dos Toranja tiveram ainda direito ao tema Laços (que levou a alguma euforia por parte do público) e o tema Fome (Nesse Sempre), com a participação especial de Sam The Kid e do seu já comumente conhecido improviso.

Um concerto fraco, especialmente devido ao público em questão e não à prestação de Tiago Bettencourt e dos Mantha.

Tensão TMN

Hoje descobri que tenho uma tensão TMN: 9-6!

Eu confesso… (11)

Sinto-me tão feliz porque que já sei fazer um =procv em Excel! E dá cá uma ajuda.

America’s Most Smartest Model

null

Alguém duvidava que um russo perderia para um americano (mesmo sendo mais inteligente e melhor modelo), no concurso America’s Most Smartest Model?

Índios

Hei-de ver esta ao vivo, um dia.

The Gift – Cover de Índios (original de Legião Urbana)

Tenho saudades tuas.

CCS no Teatro Sá da Bandeira

[Blitz]

Adorei a ideia. Quero ir certamente.

Eles que se atrevam a cancelar em cima da hora, como no Oeiras Alive!

Eu confesso… (10)

Gosto de ouvir isto…

Mudanças

Sei que devia descansar mais, sim sei. Mas acho o descanso uma perda de tempo, acho que não deviamos dormir, acho que devíamos descobrir mais, aprender mais, saber mais. Sim, eu sei, todos precisamos de descanso, a não ser que sejamos humanos geneticamente modificados.

Por outro lado, sei que devia ponderar antes de falar. Dizer o A e depois pensar que nem sempre se segue o B e o C, que por vezes é A+X e A+Y, que existem variáveis. Sim, sei que tenho margem para modificar-me, para ser trabalhável, para ser um bom líder, um bom chefe.

Sim, porque todos necessitamos de mudar. Ou melhor, todos conseguimos melhorar.

E o ouro é nosso!

Nélson Évora, a nossa derradeira esperança nos Jogos Olímpicos, a decorrer em Pequim, não falhou e trouxe a medalha de ouro para Portugal, numa fantástica prova de triplo salto!

Eu confesso… (9)

Ser chefe de equipa não é fácil. Muito menos ajudar pessoas que nunca fizeram telemarketing. Contudo é extremamente gratificante.

E a prata já cá canta!

null

Vanessa Fernandes conquistou hoje a medalha de prata na prova de Triatlo, nos Jogos Olímpicos de Beijing 2008, conseguindo a primeira medalha olímpica da sua carreira!

The Gift – Maia Act Youth Festival, Maia

null

Foi com muito gosto que, já sem ver os The Gift há três meses, depois de um grande espectáculo com a Orquestra Metropolitana de Lisboa, fui à cidade da Maia, ao Maia Act Youth Festival, assistir ao seu grande concerto, no dia 25 de Julho de 2008.

Já o complexo de ténis da Maia se encontrava lotado, quando os The Gift subiram ao palco, com um dos públicos mais jovens que já vi em concertos deles. Depois de um concerto mais fraco por parte da banda que os antecedeu, o pavilhão ficou ao rubro quando as luzes se apagaram e se ouviram os primeiros acordes de La Folie.

null

Sónia Tavares entra em palco, vestida de forma informal, mas bonita, à semelhança de tantos outros espectáculos e deslumbra todos com a sua potente voz, em Actress. Uma das grandes surpresas da noite foi a inclusão de My Lovely Mirror no alinhamento, facto que já não acontecia há algum tempo. Nesta fase já todo o pavilhão estava rendido à sua energia extrema, mas tudo isto aumentou quando Sónia começou a tocar a célebre Fácil de Entender, que deu nome a esta tour. A partir daqui, todo o concerto foi constituído por grandes singles dos The Gift: uma decisão tremendamente inteligente, com um público que vai assistir a um concerto grátis e que, muitos deles, não conhecem a fundo a banda. Curiosamente, durante o refrão de Fácil de Entender, a Sónia pediu a todo o público que levantasse os telemóveis, apenas porque “as luzes são bonitas”.

Outra grande surpresa deste alinhamento, senão a maior de todas, foi a Pure, que sofreu uma alteração, com Tiago Dias (da banda The Room 74) a mostra o que vale no tambor. De seguida, outro single: Music. Dos temas mais conhecidos de todos, esta canção levou o público a cantar em uníssono e a ficarem rendidos, especialmente quando a conclusão da música tem um toque de reggae.

null

Driving You Slow, 11.33, Question of Love e Ok! Do You Want Something Simple são outros singles que a banda tocou e pelos quais agarrou o público; especialmente porque esta última tinha um pouco do refrão de uma música de 50Cent, pelo que levou os mais novos a vibrarem com Sónia.

645, o novo single da banda, ainda não é conhecido do público em geral, mas todos concordamos que fornece um tremendo orgasmo musical e visual a todos. Também a mais electrónica, In Repeat (do álbum Lisboa) põe todo o pavilhão a dançar, especialmente com o final ao melhor estilo de Arcade Fire.

null

Uma das músicas que mais deixa morrer o público no seu geral é Nice and Sweet (uma das músicas novas, incluída no álbum Fácil de Entender), mas que, nesta ocasião, deixou Nuno Gonçalves brilhar com o seu solo de guitarra eléctrica.

Por fim, outro grande momento da banda foi quando tocou a So Free (3 Acts), que acabou por deixar a grande maioria dos adolescentes absolutamente surpreendidos ao verem o instrumento de Nuno Gonçalves… o seu famoso theremin.

Além disso, os The Gift não nos podiam deixar com um toque diferente, ao divulgar uma outra preferência musical da banda. Sónia Tavares ficou com a sua voz plenamente enquadrada ao cantar o refrão de Enjoy the Silence, dos Depeche Mode.

Este foi um concerto muito divertido e tremendamente surpreendente a nível de alinhamento, especialmente neste tipo, conhecido como “concerto de terrinha”. Uma mostra do seu valor e energia.

Alinhamento:

– La Folie
– Actress
– My Lovely Mirror
– Fácil de Entender
– Pure
– Music
– Driving You Slow
– 11.33
– 645
– Ok! Do You Want Something Simple?
– Question of Love
– In repeat

1.º Encore:

– In Repeat
– Nice and Sweet
– So Free

2.º Encore:

– Music

Era só para dizer.

Não me apetece vir aqui muito. Não tenho paciência. É só para dizer que agora tenho um hamster (Hamster Anão Russo Campbells), com direito àquelas gaiolas que sempre quis ter quando era miúdo e a minha mãe não deixava. É só para dizer que o barulho do hamster a rodar na gaiola não me deixa dormir.

É só para dizer que tenho ido muito ao cinema ver lixo e não só. Gosto disso. É só para dizer que até tenho lido alguma literatura portuguesa. É só para dizer que fui ver The Gift e ainda não escrevi a review, mas vou escrever. E que se fodam os críticos do criticismo em todas as áreas.

É só para dizer que não tenho escrito e que ainda não fui à praia este ano. É só para dizer que nunca mais li blogues nem os comentei.

É só para dizer que quanto mais se sabe de forma autónoma, mas se tem para fazer. É só para dizer que o mundo está repleto de ignorantes. É só para dizer que odeio dispensar pessoas, só de saber que já estive do lado deles. É só para dizer que gosto ainda mais do que faço, do que antes.

É só para dizer que as pessoas que dão bitaites, do alto do trono, me metem nojo. É só para dizer que me irritam pessoas que se julgam superiores, só porque têm vidas facilitadas. É só para dizer que me irrita o facilitismo e o comodismo. É só para dizer que há pessoas que não deviam existir.

Pronto. Era só para dizer isto.

Obrigado.