Monthly Archives: Fevereiro 2009

Os Óscares

E era o que se esperava. Slumdog Millionaire saiu vitorioso desta edição dos Óscares, numa cerimónia onde surpresas existiram poucas. Dez nomeações, oito Óscares (Melhor Fotografia, Melhor Montagem, Melhor Edição de Som, Melhor Banda Sonora, Melhor Canção Original, Melhor Argumento Adaptado, Melhor Realizador e Melhor Filme). O filme de Danny Boyle (The Beach e Trainspotting) não foi o mais galardoado numa cerimónia dos Óscares, mas faz história como provavelmente o filme mais premiado numa temporada de prémios.
Antes do filme de Danny Boyle, apenas outros dois haviam ganho os Globos de Ouro (Melhor Drama), Critics Choice, Screen Actors Guild (SAG), Producers Guild Awards (PGA) e Directors Guild Awards: Lord of the Rings: Return of the King (2003) e American Beauty (1999). Por outro lado, só Schindler’s List (1993) venceu nos Writers Guild Awards (WGA), PGA, DGA, Globos de Ouro (Melhor Drama), Scripter e BAFTA.
Slumdog Millionaire venceu em todos esses, mas também conseguiu os principais dos Óscares.

The Curious Case of Benjamin Button foi o grande derrotado da noite: 13 nomeações, apenas 3 Óscares (Melhor Direcção Artística, Melhor Caracterização e Melhores Efeitos Visuais). Já Man on Wire, Wall-E confirmaram o seu estatuto de preferidos enquanto Melhor Documentário e Melhor Filme de Animação.

Na área da interpretação, Heath Ledger recebeu o segundo Óscar póstumo da história do cinema. O primeiro foi Peter Finch por Network (1976). Já Kate Winslet recebeu o prémio merecido pelo filme errado. Acreditamos que nos últimos anos a actriz já teve interpretações melhores que a sua Hanna Schmitz, incluindo a sua April Wheeler de Revolutionary Road, mas finalmente, à sexta nomeação, viu ser consagrada como Melhor Actriz. Penélope Cruz conseguiu também aquilo porque tanta ansiou e pelo qual tanta campanha fez. Habitualmente os filmes de Woody Allen sempre levaram alguém ao estrelato e este ano foi a vez da actriz espanhola. Na disputa entre Mickey Rourke e Sean Penn, o actor de Milk viu repetido o prémio que já havia ganho nos SAG, deixando Mickey Rourke sem um dos poucos galardões que lhe faltavam. Afinal, Darren Aronofsky faltou ao prometido.

Apesar da previsibilidade, as (poucas surpresas) surgiram do lado do Japão. Na categoria de Melhor Curta-Metragem de Animação, onde o preferido era Presto, ganhou La Maison en Petits Cubes e na categoria de Melhor Filme Estrangeiro, Okuribito (Departures), deixou de lado Israel, Valsa com Bashir.

Em suma, esta foi com certeza uma das melhores cerimónias dos últimos anos, senão a melhor. Hugh Jackman foi uma aposta ganha, com os melhores momentos da noite a terem o seu nome e voz. Os momentos musicais repletos de dinamismo e diversão alegraram a noite, mas também a original forma de apresentar as categorias interpretativas.

Ainda não chegaram os resultados definitivos da emissão de ontem na ABC, mas dados preliminares revelam que a subida em termos de audiência não foi assim tão significativa. Nós por cá, achamos contudo e apesar dos excessivos prémios atribuídos a Slumdog Millionaire que, finalmente a Academia se reinventou e presentou-nos com uma cerimónia que trouxe de novo o glamour do cinema de Hollywood.
Lista completa de vencedores AQUI.
Anúncios

Fantasporto: Choke

Uma comédia com contornos dramáticos, surpreendentemente inteligente.

Últimas Aquisições

Como não podia deixar de ser mais algumas aquisições para a nossa cinemateca, onde não se inclui O Segredo de Brokeback Moutain, que saiu no passado sábado no jornal Público e que vinha com erros no master do filme.

imagem-11

Nomeado para 8 Óscares onde se incluem Melhor Actriz Principal (Annette Bening), Melhor Montagem e Melhor Banda Sonora (Thomas Newman) e vencedor de 5 Óscares: Melhor Actor Principal (Kevin Spacey), Melhor Fotografia, Melhor Realizador (Sam Mendes), Melhor Filme e Melhor Argumento Original.

Nomeado para 6 Óscares onde se incluem Melhor Guarda-Roupa, Melhor Realizador, Melhor Banda Sonora, Melhor Filme e Melhor Argumento Original e vencedor do Óscar de Melhor Actriz Principal (Helen Mirren).

STOMP – Foi ontem!

Electrizante, coordenado e divertido.

Quando o tempo nos troca as voltas

Este todos já conhecem. Benjamin Button é o seu nome e nasceu sob circunstâncias pouco usuais, conforme ele próprio o disse. O tempo para ele anda ao contrário.

O segundo é menos conhecido, mas para os fãs de J. J. Abrams e de Fringe não terá passado despercebido, no segundo episódio da série. Também ele nasceu debaixo de circunstâncias misteriosas, mas a diferença é que o tempo para ele anda depressa demais.

Chin-Chu-Ti-Ãn

E às vezes dá-nos nisto, mesmo com comida feita em casa.

Através do serviço de delivery, encomendámos mais uma vez comida chinesa e que bem que me soube uns crepes chineses, com molho de soja e picante, umas hóstias de camarão, van tan frita, vaca picante com pimentos e arroz chau-chau.

Fringe

fringe_ver2

Dia 26, Fringe, a nova série de  J. J. Abrams, criador de Alias ou Lost, estreia em Portugal, na RTP2. Enquanto não chega ao nosso país e impelido pela cara-metade vi o episódio piloto da série que, qual longa-metragem, dura cerca de 80 minutos.

Visualmente parece-me interessante, meio caminho entre Lost e X-Files, com muitas pontas soltas, temas polémicos e controversos, muita coisa para descobrir. Resta-me aguardar pela continuidade dos episódios e ver o que Fringe e “The Pattern” nos reservam.

Coraline

Sombrio, inteligente e divertido.

://Leia a crítica de Coraline e a Porta Secreta, versão portuguesa, 3D Digital, no blogue Split Screen.

Cinema e Televisão

Sei que já o esperavam. Ao longo dos últimos meses este blogue viu crescer a minha paixão pelo cinema, mas como escrevia no Hotvnews enquanto colaborador, sempre disse que não iria criar um blogue de cinema. Mas chegou o dia. Deixei de escrever no Hotvnews, por questões pessoais e que se prendem com uma mudança de objectivos pela minha parte.

Desta forma e sem mais demoras, eis o surgimento de um novo blogue de cinema e televisão:

http://splitscreen-blog.blogspot.com/

Visitem e transmitam o vosso feedback.

How To Lose Friends & Alienate People

how_to_lose_friends_and_alienate_people

Surpreendentemente um bom filme, excelente para passar o serão.

rabos, injecções e enfermeiras

enfermeira1Escrevo-vos este post com um ardor no rabo. Não, não se enganaram no blogue, nem estão a ler as confissões de um antigo interno da Casa Pia. Foi hoje finalmente o dia que fui levar a primeira das injecções que tenho para tomar, por receita médica. Já havia manifestado aqui o meu desagrado perante tal acção, mas à força da (muito) convincente cara-metade tive de fazer o tal sacríficio.

A parte interessante é que a enfermeira (bastante simpática, até) disse-me que como eram vitaminas, que provavelmente iriam doer mais. Por serem mais espessas e/ou oleosas provocam esse efeito doloroso. E se o meu receio já estava elevado, disparou ainda em flecha. Contudo, depois de a senhora enfermeira me mandar baixar as calças (suspeito! Eu ainda procurei o Carlos Cruz debaixo da marquise marquesa…), não senti praticamente nada, a não ser um ligeiro desconforto. Antes disso, obviamente que tive o à vontade de questionar se doeria durante muito tempo, pois passo muito tempo sentado. Um homem prevenido vale por dois. Confesso, não doeu tanto assim. Mas agora estou com ardor no rabo. Agora livrem-se de tecer comentários.

Meet the Spartans

meet_the_spartans_ver2

Um spoof movie que permite soltar algumas gargalhadas. Mas com gags completamente despropositados e sem piada.

Eu confesso… (19)

Confesso que não me sinto 100% à vontade para levar injecções dia sim, dia não. Vá, nem 20% à vontade.

O Desemprego

Cada vez entendo mais o motivo de as taxas de desemprego dispararem em flecha quais armas carregadas e potencialmente perigosas. Trabalho em Recursos Humanos e o meu trabalho é esse mesmo: dar trabalho a outros (entre outras coisas que me consomem a cabeça).

Contudo, o meu dia a dia é maioritariamente passado a fazer dinâmicas de grupo (vulgo entrevistas, mas numa versão mais moderna e rebuscada) de forma a avaliar potenciais candidatos a integrarem o emprego para o qual recruto. Não os contrato para full-time, é verdade. Mas recruto-os para part-time. Um part-time de segunda a sexta, 4 horas por dia, stressante é certo, mas comparativamente bem pago. Comparando com pessoas que trabalham 8 horas por dia e nem o ordenado mínimo auferem, por exemplo. À vontade e se tudo correr bem, eles conseguem auferir valores de 400€ por mês, se se esforçarem realmente.

Tenho é vindo a reparar que ninguém quer trabalhar e que as pessoas são arrogantes e dão cada vez mais uso à chamada pala de burro, sem terem margem de manobra mental para abrirem horizontes. Nas entrevistas, irritam-me sobretudo os atrasos. Atrasos esses que até tolero, porque é a primeira vez que se deslocam ao espaço, mas que abomino quando vêm associados a uma tremenda falta de responsabilidade e respeito. Outra coisa que me deixa transtornado, são as respostas secas e monossilábicas, que revelam que os candidatos não se estão a esforçar minimamente para ficar com a função. Ou aqueles que têm tanta pressa, desde o momento que entram e que se acham no direito de julgar que o entrevistador está a demorar mais do que devia e se acham no direito de fazer exigências despropositadas.

No nosso país, as pessoas não querem trabalho. Querem tacho e mama. E viver à mama do Estado é bom, quando outros trabalham para nos sustentar. Isso é o que odeio e isso é o motivo do desemprego e o estado do País.

Janeiro’09 – Estreados em Portugal (01)

imagem-32

Passo a incluir no blogue uma lista, com periodicidade a definir, com as minhas classificações dos filmes estreados mensalmente. O problema é que há filmes de determinados meses, que só vejo mais tarde e como tal esta tabela pode ser alterada.

imagem-2

O efeito Óscares traz um bom prenúncio para os cinéfilos, a notar pelas minhas classificações. A incluir nas classificações dos estreados em Portugal, no mês de Janeiro, após o seu visionamento, deverão contar com Como Perder Amigos e Alienar Outros, Valsa com Bashir, A Onda, Sete Vidas, Frost/Nixon e O Rapaz do Pijama às Riscas.

Poderão ler as críticas clicando no título do filme:

Eu Confesso… (18)

Uma pessoa não pode deixar de sorrir quando uma colega de trabalho nos diz que se eu precisar de ajuda, não se importa de fazer horas extras, mesmo que não fossem pagas.

BAFTA’09 – Os Óscares Britânicos

Foram ontem anunciados os vencedores dos Prémios BAFTA, o mais alto galardão britânico para o cinema e considerados um prenúncio para os Óscares americanos, porque normalmente uma grande maioria dos vencedores repetem-se.

As surpresas não são muitas:

Melhor Filme – Vencedor: Quem Quer Ser Bilionário

  •  O Estranho Caso de Benjamin Button
  • Frost/Nixon
  • Milk
  • The Reader
  • Quem Quer Ser Bilionário

Melhor Filme Britânico – Vencedor:  Man on Wire

  • Hunger
  • Em Bruges
  • Mamma Mia!
  • Man On Wire
  • Quem Quer Ser Bilionário

Melhor Realizador – Vencedor: Danny Boyle (Quem Quer Ser Bilionário)

  • Clint Eastwood (por A Troca)
  • David Fincher (por O Estranho Caso de Benjamin Button)
  • Ron Howard (por Frost/Nixon)
  • Stephen Daldry (por The Reader)
  • Danny Boyle (por Quem Quer Ser Bilionário)

Melhor Actor Principal – Vencedor: Mickey Rourke (O Wrestler)

  • Frank Langella (por Frost/Nixon)
  • Dev Patel (por Quem Quer Ser Bilionário)
  • Seann Penn (por Milk)
  • Brad Pitt (O Estranho Caso de Benjamin Button)
  • Mickey Rourke (por O Wrestler)

Melhor Actriz Principal – Vencedor: Kate Winslet (O Leitor)

  • Angelina Jolie (por A Troca)
  • Kristin Scott Thomas (por I’ve Loved You So Long)
  • Meryl Streep (por A Dúvida)
  • Kate Winslet (por O Leitor)
  • Kate Winslet (por Revolutionary Road)

Melhor Actor Secundário – Vencedor: Heath Ledger (O Cavaleiro das Trevas)

  • Robert Downey, Jr. (por Tempestade Tropical)
  • Brendan Gleeson (por Em Bruges)
  • Phillip Seymour Hoffman (por A Dúvida)
  • Heath Ledger (por O Cavaleiro das Trevas)
  • Brad Pitt (por Destruir Depois de Ler)

Melhor Actriz Secundária – Vencedor: Penélope Cruz (Vicky Cristina Barcelona)

  • Amy Adams (por A Dúvida)
  • Penélope Cruz (por Vicky Christina Barcelona)
  • Freida Pinto (por Quem Quer ser Bilioniário)
  • Tilda Swinton (por Destruir Depois de Ler)
  • Marisa Tomei (por O Wrestler)

Melhor Realizador, Guionista ou Produtor Britânico estreante – Vencedor: Steve McQueen (Hunger)

  • Simon Chinn (produtor) (por Man On Wire)
  • Judy Craymer (produtora) (por Mamma Mia!)
  • Garth Jennings Writer (guionista) (por Filho de Rambow)
  • Steve McQueen (Realizador/guionista) (por Hunger)
  • Solon Papadopoulos e Roy Boulter (produtores) (Of Time And The City)

Melhor Guião Original – Vencedor: Em Bruges

  • Destruir Depois de Ler (Joel e Ethan Coen)
  • A Troca (Michael Straczynski)
  • I’ve Loved You So Long (Philippe Claudel)
  • Em Bruges (Martin McDonagh)
  • Milk (Dustin Lance Black)

Melhor Guião Adaptado – Vencedor: Quem Quer Ser Bilionário

  • O Estranho Caso de Benjamin Button (Eric Roth)
  • Frost/Nixon (Peter Morgan)
  • The Reader (David Hare)
  • Revolutionary Road (Justin Haythe)
  • Quem Quer Ser Bilionário (Simon Beaufoy)

Melhor Filme Estrangeiro – Vencedor: I’ve Loved You So Long

  • O Complexo Baader Meinhof
  • Gomorra
  • I’ve Loved You So Long
  • Persepolis
  • Valsa com Bashir

Melhor Animação – Vencedor: Wall-E

  • Persepolis
  • Wall.E
  • Valsa com Bashir

Música – Vencedor: Quem Quer ser Bilionário (A.R. Rahman)

  • O Estranho Caso de Benjamin Button (Alexandre Desplat)
  • O Cavaleiro das Trevas (Hans Zimmer e James Newton Howard)
  • Mamma Mia! (Benny Andersson e Björn Ulvaeus)
  • Quem Quer Ser Bilionário (A.R. Rahman)
  • Wall.E (Thomas Newman)

Cinematografia – Vencedor: Quem Quer Ser Bilionário

  • A Troca
  • O Estranho Caso de Benjamin Button
  • O Cavaleiro das Trevas
  • The Reader
  • Quem Quer Ser Bilionário

Edição – Vencedor: Quem Quer Ser Milionário

  • A Troca
  • O Estranho Caso de Benjamin Button
  • O Cavaleiro das Trevas
  • Frost/Nixon
  • Em Bruges
  • Quem Quer Ser Bilionário

Design de Produção – Vencedor: O Estranho Caso de Benjamin Button

  • A Troca
  • O Estranho Caso de Benjamin Button
  • O Cavaleirodas Trevas
  • Revolutionary Road
  • Quem Quer Ser Bilionário

Guarda-Roupa – Vencedor: A Duquesa

  • A Troca
  • O Estranho Caso de Benjamin Button
  • O Cavaleiro das Trevas
  • A Duquesa
  • Revolutionary Road

Sonoplastia – Vencedor: Quem Quer Ser Milionário

  • A Troca
  • O Cavaleiro das Trevas
  • Quantum of Solace
  • Quem Quer Ser Bilionário
  • Wall-E

Efeitos Especiais – Vencedor: O Estranho Caso de Benjamin Button

  • O Estranho Caso de Benjamin Button
  • O Cavaleiro das Trevas
  • Indiana Jones e a Caveira de Cristal
  • Homem de Ferro
  • Quantum of Solace

 Caracterização – Vencedor: O Estranho Caso de Benjamin Button

  • O Estranho Caso de Benjamin Button
  • O Cavaleiro das Trevas
  • A Duquesa
  • Frost/ Nixon
  • Milk

Já conhecido como o papa-prémios de Danny Boyle, Slumdog Millionaire levou para casa 7 prémios, dos 11 que se poderia esperar. A grande maioria das categorias principais foram levadas pela mistura Hollywood/Bollywood, inclusive Melhor Filme, Melhor Realizador e Melhor Argumento Adaptado.

O Estranho Caso de Benjamin Button é para mim a maior decepção do ano. O filme é óptimo, a realização excelente, tudo faz dele uma verdadeira e clássica obra-prima, mas teve o azar de surgir num ano competitivo e de entrar em confronto directo com o sobrevalorizado Slumdog Millionaire. Das 11 nomeações, só levou três prémios em categorias técnicas.

A outra surpresa foi o prémio de Kate Winslet pelo… The Reader. O que prova que os filmes sobre o Holocausto resultam sempre. Por outro lado, traz a vantagem quase assegurada de ser a vencedora do Óscar, após tantos anos de injustiça.

Ainda não vi o The Wrestler, mas sinceramente acho que Mickey Rourke apenas ganhou o prémio de Melhor Actor como recompensa pelo seu ressurgimento e não só pelo seu desempenho. Sean Penn, como o activista Harvey Milk, merecia-o muito e espero que me façam esse gosto nos Óscares.

Dia 22, veremos se os BAFTA anunciaram de antemão os vencedores dos Óscares ou se teremos surpresas. A contar pelo conservadorismo da Academia, parece-me que não.

Milk

Uma biopic poderosa. Um recrutamento pelos direitos civis.

Cinemateca

Mais dois novos filmes adicionados hoje à nossa cinemateca que peca, naturalmente, por ter poucos clássicos ou oscarizados:

imagem-4

Nomeado para 3 Óscares: Melhor Actor Secundário (Tom Cruise), Melhor Canção Original (Aimee Mann – Save Me) e Melhor Argumento Original (Paul Thomas Anderson).

Nomeado para 4 Óscares: Melhor Banda Sonora (Philip Glass), Melhor Actriz Principal (Judi Dench), Melhor Actriz Secundária (Cate Blanchett) e Melhor Argumento Adaptado (Patrick Marber)

Great Performers, pelo olhar da New York Times Magazine

Conheça os Great Performers do ano, da autoria do fotógrafo Paolo Pellegrin, com narração da jornalista Lynn Hirschberg e pelo olhar da New York Times Magazine. O portfolio dá-nos um set glamouroso, mas sem grandes penteados e maquilhagem. Um conjunto de fotos fantásticas, despidas de pretensiosismo.

imagem-6imagem-8imagem-11imagem-12imagem-13imagem-14imagem-15imagem-16

Great Performers 2008:

  • Kate Winslet, The Reader e Revolutionary Road
  • Frank Langella, Frost/Nixon
  • Robert Downey Jr., Iron Man e Tropic Thunder
  • Sean Penn, Milk
  • Kat Dennings, Nick and Norah’s Infinite Playlist
  • Mickey Rourke, The Wrestler
  • Penélope Cruz, Vicky Cristina Barcelona
  • Brad Pitt, Burn After Reading e The Curious Case of Benjamin Button

Pode ver o portfolio completo Great Performers, da New York Times Magazine, no site oficial.